Dólar com. 3,791
IBovespa 0.86
18 de março de 2019
min. 27º máx. 33º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Polícia identifica turco de 37 anos como suspeito de ataque na Holanda
30/01/2018 às 10h39

Geral

MPT/AL garante direito a meio de ambiente trabalho seguro para funcionários de transportadora

A pedido do Ministério Público, 2ª Vara do Trabalho de Maceió condena Prosegur Brasil a fazer modificações nas sedes da empresa nos bairros do Trapiche e Pinheiro para garantir saúde e segurança dos trabalhadores

Após ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho em Alagoas (MPT/AL), a 2ª Vara do Trabalho de Maceió condenou a empresa Prosegur Brasil S/AL – Transportadora de Valores e Segurança por descumprimento de normas trabalhistas. O réu deixou de proporcionar a seus funcionários o meio ambiente de trabalho adequado à saúde e segurança do trabalhador, potencializando riscos de acidentes graves. 

A sentença judicial obriga a Prosegur a fazer, no prazo de 60 dias, mudanças estruturais nas unidades localizadas nos bairros do Trapiche e do Pinheiro, em Maceió. Entre as obrigações, encontram-se a apresentação de um novo laudo de análise de monóxido de carbono, como forma de aferir se os níveis encontrados estão dentro do limite permitido pela legislação, e o provimento de portas nos locais onde estão os chuveiros, resguardando assim a intimidade e privacidade dos trabalhadores.

Antes de ajuizar a ação judicial, o MPT/AL chegou a fazer uma inspeção no local para constatar as irregularidades e, em seguida, propôs à empresa um termo de compromisso de ajustamento de conduta. No entanto, a transportadora nem regularizou os problemas identificados, nem aceitou assinar o documento extrajudicial.

“Diante da resistência da empresa em firmar um compromisso perante o Ministério Público do Trabalho ou simplesmente sanar as irregularidades durante a tramitação do inquérito, só restou a este órgão o ajuizamento da ação civil pública para solucionar as não conformidades detectadas no meio ambiente de trabalho da empresa”, explicou a procuradora do Trabalho Adir de Abreu.

Caso descumpra a determinação judicial, a transportadora terá de pagar uma multa diária de R$ 15 mil para cada item descumprido. Confira a sentença na íntegra aqui.

Danos morais coletivos

A empresa também terá de pagar uma indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 100 mil, com juros e correção monetária a contar da data de publicação da decisão. O montante terá como destino o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) ou entidade de utilidade pública que o MPT/AL indicar.

Segundo a juíza do Trabalho Verônica Guedes de Andrade, o descumprimento das normas jurídicas atinentes ao meio ambiente do trabalho, que gera insegurança e coloca em risco a saúde, a higiene e a segurança de seus trabalhadores, caracteriza violação e ofensa à moral social e às leis trabalhistas.

“Apesar de ser uma das líderes nacionais no ramo de segurança privada, a atitude da reclamada com seus empregados demonstrar pouco zelo com os mínimos direitos trabalhistas, demonstrando o sentimento de desapreço com a dignidade humana daqueles que colaboram com o seu crescimento econômico”, afirmou a titular da 2ª Vara do Trabalho de Maceió na sentença.


Fonte: Ascom MPT/AL

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]