Dólar com. 3,888
IBovespa -1.98
21 de agosto de 2019
min. 22º máx. 28º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Banco Central vende dólares das reservas pela primeira vez em dez anos
15/04/2019 às 07h30

Geral

Mas o que é racismo?

PXHERE

Por Carlos Amaral

Racismo é a denominação dada à discriminação ao preconceito – de forma direta ou indireta – contra indivíduos ou grupos por causa de sua etnia ou cor da pele. É uma forma de conceito ou juízo formulado sem qualquer conhecimento prévio do assunto tratado, enquanto a discriminação é o ato de separar, excluir ou diferenciar pessoas ou objetos.

Existe alguns tipos de racismo e no Brasil o que se manifesta com mais força é o estrutural, também o de mais difícil percepção e de combate. Sua manifestação é mais branda, sem ofensas ou gestos diretos. Ele é um conjunto de práticas, hábitos, situações e falas embutidas em nossos costumes e que promove, direta ou indiretamente, a segregação ou o preconceito racial.

Por exemplo, o acesso de negros e indígenas a locais que foram, por muito tempo, espaços exclusivos da elite, como as universidades. O número de negros que tinham acesso aos cursos superiores de Medicina no Brasil antes das políticas afirmativas era ínfimo, ao passo que a população negra estava relacionada, em sua maioria, à falta de acesso à escolaridade, à pobreza e à exclusão social.

Também há as falas e hábitos pejorativos incorporados ao nosso cotidiano, que tendem a reforçar essa forma de racismo e que promovem a exclusão e o preconceito indiretamente. Isso se manifesta quando usamos expressões racistas, mesmo desconhecendo sua origem, como a palavra “denegrir”, que significa tornar negro e é associada a algo ruim. Outra forma é quando se faz piadas que associam negros e indígenas a situações vexatórias, degradantes ou criminosas, ou quando desconfiamos da índole de alguém por sua cor de pele.

O uso de eufemismos também é uma manifestação do racismo estrutural, como o uso, mesmo sem intenção ofensiva,  de palavras como “moreno” ou “pessoa de cor” para se referir a negros. Isso atitude evidencia desconforto das pessoas ao utilizar as palavras “negro” ou “preto” devido ao estigma social que essa população recebeu ao longo dos anos.

Contudo, também há a discriminação direta e os crimes de ódio contra os negros e índios. Além do racismo institucional, quando se manifesta por parte de instituições públicas ou privadas, das leis que, de forma indireta, promovem a exclusão ou o preconceito racial. Um exemplo são as abordagens policiais violentas e sem razão de ser contra negros.

Leia mais

Preconceito em Alagoas ainda registra um índice elevado

Para sociólogo, racismo é resultado de projeto de embranquecimento

Brasil se constituiu no derramamento de sangue, diz antropólogo 

Para presidente do CONEPIR, faltam políticas de mobilidade social 


Fonte: Painel Alagoas

Todos os direitos reservados
- 2009-2019 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]