Dólar com. 5.253
IBovespa 0.58
16 de abril de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Comissão de Segurança Pública ouve Lewandowski nesta terça

Blogs

Do que nos falam as pesquisas de intenção de voto?

07.07.2022 às 11:40


Olha aí!

Choveu intenções de voto em pesquisas aqui nas Alagoas, todas amplamente divulgadas, avaliadas e que podem dar um prumo para essa primeira etapa do processo eleitoral no estado.

Dentro de possíveis margens de erro, o favoritismo do governador Paulo Dantas (MDB) para sua reeleição parece ter sido ratificado por todos os institutos que pesquisaram a opinião do eleitor alagoano, seguido de Collor (PTB), Rodrigo Cunha (UB) e Rui Palmeira (PSD). 

O restante dos pré-candidatos ao governo do estado ainda não pontuou para se mostrar visível na disputa.

O que nos dizem todas essas pesquisas, uma em cima da outra, como um trator para consolidar uns mais e outros menos? Que o número de eleitores indecisos, ou que decidiram votar branco ou nulo, pode fazer a diferença na eleição deste ano, em especial ao governo do estado, caso esses votos sejam conquistados ao longo da campanha eleitoral.

Ou seja, a foto de hoje pode não ser a de amanhã, ainda há muito estrada pela frente e não se pode subestimar ninguém nessa corrida.

Aguardemos.

Postado por Ponto Final

A solidariedade, em meio ao caos

05.07.2022 às 12:01

Dizem que só se conhecem os amigos na hora da tragédia. 

Em São José da Laje, a empresa local de internet, a Lajenet, no pior momento da tragédia dessas últimas enchentes, quando a cidade ficou sem energia elétrica, sem água e sem comunicação, disponibilizou wi-fi grátis e gerador para garantir o mínimo de acessibilidade às pessoas.

A Laje foi um dos municípios mais atingidos pelo volume de água que transbordou o rio Canhoto, desabrigando e desalojando mais de 500 pessoas.

O gesto do proprietário da Lajenet,  Ely Carlos Cavalcante, foi essencial para manter especialmente a comunicação dos lajenses com suas famílias em outros municípios e até fora do estado.

Em tempo: em São José da Laje, a solidariedade foi rebatizada por Lajenet.

Postado por Ponto Final

Vai vendo, Alagoas, vai vendo!

04.07.2022 às 11:46

Em tempo de eleição, tudo é possível em Alagoas.

Até usar uma tragédia como palanque eleitoral parece ser normal pelas bandas de cá. 

As recentes chuvas no estado que têm causado calamidade em mais de 50 municípios foram suficientes para assanhar os políticos locais, que ora posam de salvadores da Pátria, ora como bons samaritanos, solidários às vítimas que já somam de 40 mil pessoas desabrigadas e desalojadas.

A vinda da Defesa Civil Nacional ganhou várias paternidades, a exemplo dos senadores Fernando Collor e Rodrigo Cunha, ambos pré-candidatos ao governo de Alagoas, que se dizem autores da presença do governo federal no estado.

Quem pode, alugou helicóptero, quem não pode, enfrentou dificuldades nas estradas, muitas delas ainda com trechos interditados, mas houve sim a visita de políticos em seus redutos eleitorais para marcarem presença junto ao eleitorado e fazerem bonito em suas redes sociais.

Nova política?!

Tudo como dantes no quartel de Abrantes.

Em tempo: seria louvável que a bancada federal de Alagoas, Assembleia Legislativa, AMA, UVEAL, partidos políticos e outras representatividades políticas no estado se unissem na busca de soluções efetivas para prevenir enchentes, garantir moradias dignas em locais seguros, em vez de discursarem eleitoralmente para uma plateia já tão sacrificada, sofrida, humilhada, manipulada. #ficaadica

Postado por Ponto Final

O lugar de Lessa

01.07.2022 às 14:53
Assessoria


Dizem os bastidores da política alagoana que o vice-prefeito de Maceió, Ronaldo Lessa (PDT), pré-candidato ao Senado, anda buscando uma chapa majoritária no estado para se acomodar.

Já teria conversado com Rodrigo Cunha (UB), Rui Palmeira (PSD) e Paulo Dantas (MDB). E já teriam conversado com ele o deputado Arthur Lira (PP), o prefeito JHC (PSB) e o deputado Davi Davino Filho (PP), também pré-candidato a senador.

Nenhum dos majoritários acima oferecem palanque para o candidato a presidente de Lessa, mas dos três, Dantas vota em Lula, Rodrigo não diz a que veio, mas sua coligação liderada por Arthur Lira é Bolsonaro desde criancinha, e Rui liberou seu grupo para apoiar qualquer uma das candidaturas presidenciais.

Então, o mais confortável para Lessa nessa questão é o palanque de Rui Palmeira, até porque é o único dos três com que o vice-prefeito conversou, que não definiu um nome para a disputa ao Senado.

Dantas tem Renan Filho e Rodrigo tem Davi Davino Filho, e, levando-se em conta que só tem uma vaga ao Senado, é estranho um mesmo grupo lançar duas candidaturas a essa vaga. 

É fato que toda experiência é cabível, mas será que em votos dará resultado? 

Lamentável que uma liderança como Lessa, que vem de berço da esquerda, tenha se perdido no caminho e agora esteja  a mercê de acordos com a direita para sobreviver politicamente.

Que sina!

Postado por Ponto Final

Que governo é esse?

29.06.2022 às 12:20


Tráfico de influência e corrupção no Ministério da Educação descobertos em uma semana, assédio sexual a funcionárias da Caixa Econômica Federal (CEF) pelo dirigente da instituição financeira, Pedro Guimarães, na outra; o presidente Bolsonaro infringindo em Maceió as normas de trânsito ao dirigir uma moto sem capacete...

Isso, sem falar no escândalo do Ministério da Saúde com suposta corrupção na época mais crítica da pandemia da covid-19, o gasto público das Forças Armadas com viagra, próteses penianas, bebidas alcoólicas...

E o ex-presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, que afirmou ter devolvido seu celular corporativo à estatal, ao deixar o comando da empresa, com material que, segundo ele, poderia incriminar o presidente Jair Bolsonaro.

Tá ruim pra Bolsonaro, ainda mais no ano eleitoral em que ele disputará a reeleição.

Postado por Ponto Final

Tudo como dantes, no Quartel de Abrantes!

27.06.2022 às 09:40

Do discurso duro de anticorrupção da campanha de 2018 à desculpa esfarrapada sobre a suposta corrupção no Ministério da Educação, podemos dizer que o presidente Jair Bolsonaro mudou, literalmente, da água para o vinho.

Em live, Bolsonaro, com voz mansa, sugeriu que o ocorrido no MEC não passou de “tráfico de influência”, coisa que, para ele, não se compara a atos de corrupção do passado. Ou seja, existe a corrupção do PT e o tráfico de influência em seu governo e, na opinião dele, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

Errado, presidente!

O tráfico de influência movimenta a corrupção e o caso da influência dada por Bolsonaro (e não negada por ele) a dois pastores evangélicos nas finanças do Ministério da Educação, revela que, na verdade, uma coisa é uma coisa, e a outra também: o Brasil segue sendo roubado.

De modo que, tudo como dantes, no Quartel de Abrantes!

Postado por Ponto Final

Foi-se a bandeira anticorrupção!

25.06.2022 às 12:00


O áudio de uma ligação entre o ex-ministro Milton Ribeiro e sua filha antes de sua prisão, onde ele confessa que foi alertado por Jair Bolsonaro de uma possível busca e apreensão em sua casa, pode levar o presidente a ser investigado no caso de corrupção no Ministério da Educação.

Já foi comprovado que no dia desse telefonema, o presidente Bolsonaro esteve com o Ministro da Justiça que pode ter lhe contado sobre a operação da polícia federal que prenderia Ribeiro e mais dois pastores, suspeitos de envolvimento no desvio de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Segundo outro áudio vazado de Ribeiro, o esquema envolvendo os pastores teria acontecido por recomendação do próprio Bolsonaro. Ou seja, há implicação explícita do nome do presidente em corrupção no MEC.

Caiu por terra a bandeira anticorrupção dos bolsonaristas.

Pero si, pero no, a suspeita está no ar e o conteúdo que joga o presidente na operação Acesso Pago é grave.

Em tempo: a defesa de Bolsonaro nega que ele tenha feito esse alerta a Ribeiro. Mas, alguém em bom juízo haveria de achar que o presidente assumiria interferência numa investigação policial?!

Postado por Ponto Final

Pianinho

23.06.2022 às 09:40

Sem o afoitamento de antes, quando disse que colocaria a cara no fogo em defesa do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, o presidente Jair Bolsonaro falou ontem sobre a prisão de seu aliado, acusado de corrupção no Ministério da Educação, e afirmou que a responsabilidade (culpa?) é de quem estava no comando do ministério. Ou seja, de Ribeiro.

A forma como Bolsonaro jogou o ex-ministro aos leões, ligou o alerta nos outros órgãos. Então, agora, no governo Bolsonaro, é “manda quem pode, desobedece quem tem juízo”.

Em tempo: a prisão do ex-ministro da Educação e de mais dois pastores ligados a Jair Bolsonaro e à primeira-dama, Michele Bolsonaro, acelerou a oposição no Congresso Nacional a criar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do MEC. 

Veremos se acontece!

Postado por Ponto Final

O pau que bate em Chico, vai bater em Francisco?

22.06.2022 às 09:40

Lula (PT) esteve em Maceió dia 17 passado e lotou o Centro de Convenções da capital em um ato político que abraçou várias pré-candidaturas na eleição deste ano, em especial as do governador Paulo Dantas (MDB) à reeleição e a do ex-governador Renan Filho (MDB) ao Senado. 

Agora é chegada a vez de o presidente Bolsonaro desembarcar na capital alagoana.

Chega dia 28 para entregar casas populares ao lado de seu pré-candidato ao governo de Alagoas, senador Fernando Collor (PTB). São 480 unidades no conjunto Alamedas Farol, mais 480 no conjunto Alamedas Jatiúca e 160 no conjunto Parque da Lagoa.

A festa tá feita!

A propósito, o partido União Brasil tem questionado na Justiça o uso de eventos de governo em benefício de Paulo Dantas na pré-campanha eleitoral, a batida serve também para Collor, ou o para o UB o pau que bate em Chico não bate em Francisco?

Postado por Ponto Final

Lira vai ou fica?

21.06.2022 às 10:40
Câmara dos Deputados


É público que o argumento do deputado Arthur Lira (PP) para tirar o UB do presidente da Assembleia Legislativa de Alagoas, Marcelo Victor, foi o de apresentar no estado uma candidatura do partido ao governo. Para isso, convenceu o senador Rodrigo Cunha a deixar o PSDB e embarcar em seu projeto.

Das pré-candidaturas ao Governo de Alagoas, a do senador Rodrigo Cunha, apadrinhada por Lira, parecia ser a mais próxima do bolsonarismo, até ser lançada a do senador Fernando Collor na semana passada.

Collor já se apropriou das bandeiras bolsonaristas em Alagoas e terá palanque com a presença física de Jair Bolsonaro e toda a estrutura do Palácio do Planalto em sua campanha.

Arthur Lira se manterá no apoio a Cunha ou marchará de mala e cuia para o palanque de Collor?

Eis a questão!

O que levaria Lira, o PP, a família Pereira e os aliados do parlamentar para Collor? A pressão política nacional comandada por Bolsonaro&Cia. Ou seja, quem será Lira na fila do pão sem as benesses do governo federal? Ele arriscará para ver essa resposta?

Postado por Ponto Final


Ponto Final por Redação

 Blog Político

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]