Dólar com. 5.4309
IBovespa 8
12 de julho de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel STF dá 30 dias para conclusão de acordos de leniência da Lava Jato

Blogs

O princípio da impessoalidade

05.07.2024 às 16:40

PARA REFLETIR

A corrupção política é apenas uma consequência das escolhas do povo.

Impessoalidade

Os cinco princípios básicos da Administração Pública estão presentes no artigo 37 da Constituição Federal de 1988 e condicionam o padrão que as organizações administrativas devem seguir. São eles: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

Costumo dizer que se nossos administradores públicos fossem submetidos a um exame, levariam “nota vermelha” em todos eles.

O princípio da impessoalidade é um dos mais aviltados, ao se ver gestores públicos nas redes sociais, feitos macacos se exibindo em busca de visibilidade.

Outro fato muito usual em festas públicas com grandes atrações, subir ao palco e ter seu nome anunciado pelos cantores, para a multidão, enganada com o “pão e circo”. Fazem e sabem que não serão punidos pelos órgãos de controle externo, que fingem nada ver. Isto é Brasil, minha gente.

Prêmio Guilherme Palmeira

O Tribunal de Contas da União (TCU) realiza concurso, com a denominação “Prêmio Ministro Guilherme Palmeira”, em homenagem ao ilustre alagoano, que chegou a presidir a corte.

O evento vai premiar as seis melhores monografias relacionadas à solução consensual, que é uma forma de resolver controvérsias e prevenir conflitos. A premiação será dividida em duas categorias. A primeira é “Tribunais de Contas”, destinada a servidores das cortes de contas de todo o país. A segunda é a categoria “Sociedade Civil” e vai receber trabalhos de acadêmicos, servidores públicos e cidadãos.

Afonso Arinos, um exemplo

Vejo a movimentação política no processo de escolha de ministros dos Tribunais Superiores e altos cargos na administração, alguns como “pagamento” pelo apoio e pelos votos, raros pela meritocracia, faz-me lembrar de um único brasileiro que rejeitou o cargo de ministro do STF, Afonso Arinos, quando convidado, pelo presidente Juscelino Kubitschek. Ao recusar disse: “eu participei de sua campanha, seria indigno aceitar o cargo”.

Mulheres não entram

A ampliação da representatividade feminina em espaços de decisão, o combate às desigualdades e a promoção da autonomia econômica das mulheres. Esses temas foram debatidos durante a 1ª Reunião de Mulheres Parlamentares do P20, encontro internacional legislativo dos países-membros do G20. A troca de experiências aconteceu aqui em Maceió,

O evento reuniu representantes de vários países e foi aberto com grane pompa, no Centro de Convenções Ruth Cardoso, onde a figura principal foi o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira.

A nota desafinada foi a expulsão de um grupo de mulheres, que pacificamente, protestavam, fora do recinto, contra o PL do estupro, com ação e intimidação de agentes policiais.

Entre títulos e comendas

Chama a atenção o fraco desempenho da Assembleia Legislativa na atual legislatura, considerada uma das piores já registradas. Com um plenário vazio de ideias e de temas  importantes, não se percebe destacar nenhum dos parlamentares, entre os 27 que formam o parlamento alagoano. De resto, parece que a grande pauta se restringe a títulos honoríficos, comendas e cidadania.

O melhor do Brasil

 Em todas pesquisas a nível nacional, o jovem prefeito de Recife, João Campos, se mostra com uma avaliação bem à frente dos demais gestores municipais em todo o país. Tem uma reeleição sem disputa e ainda conta com o apoio do presidente Lula, que vive se declarando ao carismático filho do ex-governador Eduardo Campos. Na mesma pesquisa entre os chefes de Executivos das capitais, o prefeito de Maceió, JHC ficou em 10º lugar.

Festejando a Cultura

A Academia Palmeirense de Letras, Ciências e Artes está comemorando os seus 24 anos de fundação. É hoje, junto com a Fundação de Cultura, os dois únicos equipamentos privados que tem sustentado o papel cultural de Palmeira dos Índios, destruído pelo desgoverno do senhor Júlio Cezar, em quatro anos de uma administração caótica e cheia de suspeições. Sob a presidência da professora Isvânia Marques, a academia tem alcançado muitas conquistas e se situa como uma das mais bem avaliadas do Nordeste.

Etiqueta para magistrados

Vocês pensaram que vimos tudo? Segura essa então:

A Escola de Magistrados do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que atende São Paulo e Mato Grosso do Sul, contratou um curso de etiqueta para seus novos juízes. Entre as lições da palestra “Etiqueta corporativa”, estava o “ABC da Mesa”, que ensinou a posição correta de pratos, copos e talheres na mesa.

A nota de empenho disponível no site do TRF-3 aponta que a empresa Moreno Produções Artísticas, de propriedade de Matarazzo, recebeu R$ 9.800. Muita falta de vergonha na fuça.

Pílulas do Pedro

O candidato forçado do PT sabe que fará um papel ridículo, mas pelo menos vai ter grana pra gastar e televisão para fazer graça.

Conheci um eleitor que me disse estar em três “cadastros”. É assim, eles enganam a gente e a gente os engana.

Postado por Pedro Oliveira

Todos na farra do Gilmar

30.06.2024 às 12:40


PARA REFLETIR

Que continuemos a nos omitir da política é tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem. (Bertolt Brecht)

Todos na farra do Gilmar

Realmente tinha razão o autor da frase, segundo se atribui ao ex-presidente francês, Charles de Gaulle, “o Brasil não é um país sério”. A cada dia nos deparamos com fatos e atos da política que nos mostra claramente esse fato.

Ao menos 160 autoridades da Justiça, dos governos estaduais, da gestão Lula (PT) e de outros órgãos públicos receberam aval para participar do 12º Fórum de Lisboa, evento capitaneado pelo ministro do STFGilmar Mendes que ficou conhecido como "Gilmarpalooza".

Os convidados do evento terão despesas pagas com recursos públicos. Dados de portais da transparência apontam gastos já realizados de ao menos R$ 450 mil para levar 30 dessas autoridades a Portugal, onde ocorre o encontro nesta semana. No ano passado o gasto público com o evento chegou a mais de R$ 1 milhão.

Agora, a vez do “Tigrão”

Pasmem! O Congresso Nacional está prestes a aprovar a liberação dos “jogos de azar” para todo o país, permitindo a abertura de Cassinos, jogos eletrônicos e até o “jogo do bicho”, hoje atuando de forma clandestina.Com a chegada dos cassinos e das “casas de jogos”, chegarão juntos os bicheiros, hoje contraventores, as máfias, como em todo o mundo e um número incalculável de jogadores compulsivos, viciados e promovendo um caos de quebradeiras financeiras, famílias estruídas, suicídios pelo desespero das dívidas, tal qual o miserável “tigrinho”, que está destruindo a vida de tantas pessoas , pelo vício e o desespero de perder todo seu dinheiro. A legalização dos jogos de azar, trará riqueza para alguns e tragédias para muitos.

Um PT pequeno e burro

O Partido dos Trabalhadores, em Alagoas, passa por uma crise entre seus membros que pode terminar diminuindo, ainda mais, o seu já encolhido tamanho.

Está jogando fora a sua chance de sobrevivência, indicando o vive de Rafael Brito (MDB), mas prefere se queimar na “fogueira da vaidade”, largando a sua única tábua de salvação.

No foco um candidato dele mesmo (Ricardo Barbosa), sem destino ou vocação política, forçando a barra para uma candidatura suicida, com o apoio do deputado Paulão, outro que quase não chega por falta devotos.

Tudo isso resvala pela vaidade e o olho grande para o robusto Fundo Partidário,

que vai trazer muita grana para o partido. Eles só pensam “naquilo”.

Tem boi na linha

Um vereador de Maceió, recebeu de presente um órgão do município, dentro do critério “é dando que se recebe”, fato corriqueiro da política de alianças. Tudo normal se não tivesse sido aberto “um balcão de negócios”, dentro do próprio órgão, buscando a operação captação de recursos financeiros para “Caixa de campanha” do tal vereador. A ordem está dada: quem entra não sai sem fechar um acordo paralelo. Voltarei ao assunto, com muitos detalhes.

Mobilidade para Maceió

O governador Paulo Dantas, tem destacado os esforços que seu governo está empenhado na busca para a melhoria da mobilidade urbana em Maceió e nos municípios da Região Metropolitana.

Com um plano de mobilidade passando pelos últimos ajustes, ele destacou que não medirá esforços para resolver os gargalos existentes no trânsito e na questão da acessibilidade da capital e seu entorno.

O governador tem encarado os graves problemas da mobilidade da capital com muita preocupação e fará tudo para buscar soluções, segundo declarou.

- Quero ver Maceió e região metropolitana com os melhores índices de mobilidade – acrescentou Paulo.

Debates Tio Jota x Tio Rafa

Nas eleições, que estão bem próximas, com certeza uma das boas atrações serão os debates entre os dois principais candidatos. Ambos “vendem” uma boa imagem pessoal e certamente receberão “treinamento intensivo” de seus marqueteiros, no papel de aparecer bem na televisão, vendendo suas propostas (se é que terão) ou apenas um atacando o outro e mostrando as mazelas de cada lado. Se partir para um debate de ideias, (o que é pouco provável) Rafael Brito (MDB) sairá na vantagem, se comunica bem e é articulado, não desprezando o prefeito que é “esperto” e tem tiradas estratégicas. Nenhum dos dois tem robustez cultural e preparo para grandes discursos, então quem ganhar vai ser no “grito”. Você aposta em quem?

Os velhinhos

(BRASÍLIA) - Deputados da Comissão de Legislação Participativa se comprometeram a lutar pela revogação de alguns dispositivos da reforma da Previdência, como a contribuição previdenciária de aposentados. A decisão foi tomada ao final da audiência púbica que discutiu com representantes de associações e sindicatos a exclusão de aposentados e pensionistas da política de reposição salarial. A proposta que está pronta para ser votada (PEC 555/06) acaba com a cobrança de contribuição previdenciária sobre os proventos dos servidores públicos aposentados. Além disso, a PEC unifica regras gerais, muda a base de cálculo e inclui critérios de incapacidade.

Pílulas do Pedro

Pesquisas são o retrato do momento e o momento pode não ser o mesmo amanhã. Cuidado!

Mosabelle Ribeiro caminha na liderança para a prefeitura de Palmeira. Tem história e tem raiz.

 

Postado por Pedro Oliveira

Cochilou, o cachimbo cai

16.06.2024 às 10:20


PARA REFLETIR  Um aviso aos candidatos a prefeito em Maceió: “Cochilou, o cachimbo cai”


Vai ser assim

Brasília, capital da República é onde tudo acontece. A efervescência política pulsa durante 24 horas, quer seja nas casas do Congresso, nos ministérios ou no Palácio do Planalto, se estende nas madrugadas, em restaurantes de luxo, ou mesmo nos “inferninhos” e boates, onde esses políticos descarregam suas energias. Quem conhece a cidade sabe, em Brasília não se guarda segredo por muito tempo. Ouvi de uma fonte confiável, que não é alagoana, mas sabe de tudo nos “tuneis secretos da política”, essa informação sobre as duas principais figuras políticas locais e o “ódio” exacerbado, que os confronta – Renan Calheiros e Arthur Lira – “Não se encontraram e talvez nem se encontrem ( só o tempo dirá),mas  o entorno privilegiado de ambos, tem feito movimentos enxadristas de mestres, numa ação “quase secreta” de mão dupla, buscando um armistício, em nome daquilo que buscam os dois: o poder. A estratégia é “qualquer um que ouse ao contrário, será atropelado por duas locomotivas de um trem bala”.

Rancor descabido

O encontro promovido pelo PSB, na semana passada, liderado pelos secretários Vitor Pereira e Barbara Braga, deixou a desejar nos quesitos, civilidade e habilidade política, que não se justifica mesmo para os dois, neófitos nessa ciência e talvez até sem vocação para o ofício. O partido cresceu em pouco tempo, após um ostracismo político, ao qual foi condenado pela soberba de seus dirigentes anteriores e promete chegar ao topo, com o “empurrão” do governador Paulo Dantas, e o comando de sua filha Paula Dantas. Aos dois secretários o alerta que em política nem tudo é ódio e “ranger e dentes”. Um dia vão aprender.

O Brasil e seus desastres

No Brasil, dados analisados pela CNM (Confederação Nacional de Municípios) apontam que 93% dos municípios brasileiros foram atingidos por algum desastre climático que levou ao registro de emergência ou estado de calamidade pública, especialmente por tempestades, inundações, enxurradas ou alagamentos nos últimos 10 anos. No período de 2013 a 2022, mais de 2,2 milhões de moradias foram danificadas em todo o país por causa desses eventos, afetando diretamente mais de 4,2 milhões de pessoas, que tiveram de deixar suas casas em 2.640 cidades do país.

Os desastres não vão parar e até deverão aumentar se os governos continuam inertes e algumas vezes até incentivando a destruição desenfreada do meio ambiente. Onde está dona Marina Silva, ninguém sabe.

Claydson Moura, o Coringa

Conheci o jovem, militante político, Claydson Moura, ainda um garoto, nos idos de 1994, quando me foi apresentado pelo parceiro Pedro Collor de Mello, então candidato a deputado e meu sócio no jornal Correio de Alagoas. Me falou do seu espirito e liderança política, do quanto gostava dele e disse “esse garoto vai longe”. Logo depois Pedro faleceu. Tivemos poucos contatos, mas não perdi de vista o Mourinha. Voltamos a no encontrar após exatos 30 anos. Caminhou com seus próprios pés, enveredou pela Ciência Política, obteve muitas vitórias e tornou-se um dos maiores estrategistas que conheço. Na equipe do prefeito JHC, onde tem um problema, “chama o Mourinha”. Foi o principal condutor do exitoso combate ao Covid que colocou Maceió no topo, dos resultados positivos.

“Abbiamo il secondo turno”

As eleições de 2024 serão marcadas por um fato inédito no país: pela primeira vez, uma eleição municipal terá mais de 100 cidades que superarão os 200 mil eleitores, o que as fará escolher seus futuros prefeitos com a opção de dois turnos.

Segundo os dados de eleitorado disponíveis no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) até abril, serão 102 municípios aptos a realizar a segunda rodada deste ano. Este número vem crescendo desde 1996, último dado que a Justiça Eleitoral possui, quando eram 47 as cidades que decidiam quem os representaria em duas idas à urna.

Em Alagoas apenas a capital está na condição de ter o pleito em segundo turno e os prognósticos mostram que aqui ninguém leva no primeiro.

Violência dá sinais

As denúncias de violência têm aparecido com frequência preocupante, nesse período pré-eleitoral e trata-se de um fato muito preocupante, depois de anos de tranquilidade nas eleições em Alagoas. Deputados já se manifestaram por diversas vezes, no plenário da Assembleia Legislativa a respeito dessa ameaça que faz a política local retroceder aos tempos das “vendetas” que tanto expuseram Alagoas como terra de bandidos.

O governador e o secretário de Segurança precisam agir, com urgência e rigor, que a grave situação exige.

Ronaldo na frente

 O prefeito de Penedo é sem dúvida, o melhor dessa atual safra nas administrações municipais. Deu, em sua gestão, corpo e alma a mais bela cidade de Alagoas, após uma administração equivocada do seu antecessor. Elevou a autoestima do penedense, que se orgulha de suas origens.

No campo eleitoral sua avaliação está nas alturas, competindo com o ex-prefeito Marcius Beltrão, que não fez uma boa administração.

Pílulas do Pedro

Quem imaginou que Maceió não vai ter segundo turno, vai morder a língua

Palmeira dos Índios não pode ser mais uma vez enganada. A tragédia não pode continuar

Postado por Pedro Oliveira

Vão roubar as nossas praias

10.06.2024 às 06:00


PARA REFLETIR - A Justiça brasileira e também a Polícia, não estão preparadas para atender a mulheres

Vão roubar as nossas praias

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que o Congresso não está discutindo privatização das praias, mas a transferência dos chamados terrenos de marinha onde estão instalados serviços estaduais e municipais sob concessão ou permissão. A proposta de emenda constitucional transfere gratuitamente a estados e municípios os terrenos de marinha ocupados pelo serviço público desses governos e mediante pagamento, aos ocupantes particulares.

Acredito que o deputado não leu o texto com devida atenção, pois segundo a malvada proposta, alguns “jabotis”, estão incertos no texto da matéria. Tem muitas raposas políticas com grande interesse nessas áreas que colocará nas mãos de prefeitos, milhares de quilômetros de praias, sujeitas ao assalto imobiliário que deverá acontecer.

Empresários do setor especulativo estão fazendo as contas dos lucros e das propinas para liberar total, a venda do nosso litoral. É dinheiro que não acaba mais, mas acaba como nosso agredido meio ambiente.

A ministra Marina Silva é radicalmente contra e disse que é preciso "um debate intenso". "Não por acaso há uma mobilização da sociedade querendo compreender que não tem mais espaço para retrocessos", disse.

A liberação das áreas vai apenas privilegiar grandes agentes imobiliários e com certeza criar um novo condutor de corrupção.

O melhor vice

O presidente da Câmara de Vereadores de Maceió, Galba Netto, somados todos os prognósticos e equações do jogo politico seria o vice ideal para formar chapa com o prefeito JHC. Jovem, carismático e com fluência política, tem conduzido a casa com seu espírito conciliador e inovando as politicas de gestão do Legislativo. Nenhum outro dos anunciados candidatos conhece tão bem os problemas de Maceió como ele. Mas política tem dessas coisas: nem sempre o melhor é o melhor. E tem votos.

É melhor não

O senador Renan Calheiros anda ausente dos acontecimentos políticos em Alagoas e quando reaparecer a estratégia é não dar palpites e nem de longe declarar seu apoio a Rafael Brito, sendo sugerida a mesma postura para o ministro Renan Filho. Os dois como campeões no quesito rejeição de Maceió atrapalham a vida de qualquer nome que tenha os seus apoios. São iguais pé de mandacaru, “não dão sombra, nem encosto”.

Dia do ...

Por falta de ter o que fazer e para conquistar votos, deputados estaduais tem tido como ocupação, conceder títulos de cidadania, medalhas de mérito e agora a moda nova: “denominar dias” para tudo o que é religião, categorias e entidades sociais. Logo os 365 dias do ano estarão preenchidos com os “Dia do”. Tanta coisa importante para se discutir, tantas políticas públicas e questões insolúveis da Saúde, Educação e Assistência Social e essa turma fica a discutir “sexo dos anjos”. Por outro lado, temos um plenário pobre, onde ninguém se destaca. Saudades dos velhos tempos da Casa de Tavares Bastos

Pente fino

O nome da operação certamente não será esse, mas o que se prenuncia para o período entre eleição e posse dos eleitos este ano, vai causar crises de pânico em muitos que estão deixando ou renovando seus mandatos. As investigações têm decorrido desde 2022 e a situação nas administrações municipais, “onde apertar sai pus”. Em Alagoas, particularmente, pelo menos 52 municípios estão com indicativos de gravidade máxima (já comprovadas) e entre os demais, com suspeitas e investigação em curso. Não vi os crimes, mas tive acesso ao “rol” dos que receberão  as visitas da Policia Federal. TOC,TOC,TOC.

Salto alto

O prefeito JHC vai para uma disputa, buscando a renovação do seu mandato, em uma situação confortável, entre todos os candidatos, até o momento. As pesquisas falam, mas apenas sobre o momento, que é mutável, em se tratando de eleitores e eleições. É profissional do ramo, mas em seu antagonismo tem caboclo velho bem mais experiente e aí é que mora o perigo. Não pode ceder o comando da tropa, mas também não deve impor apenas a sua vontade ou conveniência e descartar parceiros, principalmente com votos. Todo cuidado é pouco, na “passarela do voto”, um passo em falso do alto de um salto Luiz XV, dá um tombo e tanto.

Palmeira, o caos absoluto

Nunca em tempo algum um gestor da cidade de Palmeira dos Índios, que caiu 5 pontos no ranking das melhores, entregou a prefeitura tomada por um absoluto e deprimente. É como se a cidade tivesse sido amaldiçoada, com uma praga, vinda não se sabe de onde ou por qual pavoroso pecado. A realidade é que a partir de eleições equivocadas, o município não tem tido sorte na escolha do prefeito e chegou ao fim elegendo um vereador sem formação, excessivamente vaidoso e não cumpridor a palavra dada. Não há na cidade um item sequer da administração, que não se mostre em absoluto estão de degradação, sucateado e muitos inservíveis para a população.

Pílulas do Pedro

Politico que defende a “privatização das praias’ só está pensando no seu “quinhão”.

Quantas vezes vou ter que dizer que não tenho candidato a prefeito? E nem sei se terei.

Postado por Pedro Oliveira

E se Michelle ganhar?

31.05.2024 às 17:40


PARA REFLETIR

“Com esse Congresso tendencioso e com um governo acuado, pode acontecer tudo na gestão petista, inclusive nada”.

E se Michelle ganhar?

Dizem, no popular que “nada está tão ruim, que não possa piorar” e essa constatação me assusta muito. Olho pelo retrovisor e vejo um deputado medíocre, desonesto e despreparado, ser eleito presidente em uma comoção nacional anti-petista. Após quatro anos de desastre e desmonte do país e suas instituições e ameaça à Democracia, mais uma vez o povo, em sinal de reprovação, traz o PT de volta elegendo presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, para o seu terceiro mandato, com disputa polarizada.

O temor: O governo Lula ainda não deslanchou quase na metade do mandato, e mantem algumas rusgas com o Congresso. Se a economia fracassar e pesar no bolso dos brasileiros, aí o caldo fica salgado e não tem quem dê jeito. Bolsonaro impedido, terá madame Michelle, como candidata (hoje é a única candidatura que compete com Lula) vindo com força. E se o povo resolve repetir em protesto, as eleições de 2018?

Restará apenas um titulo para um livro: Bolsonaro, um a casal que acabou um país.

Jornada dupla

Tendo que me deslocar  a Brasília, tive dificuldade em encontrar vagas nos hotéis, que costumo me hospedar coisa que nunca me aconteceu e só após fazer contato com um amigo hoteleiro, consegui e por ele fui informado : “durante a semana vai acontecer mais uma “marcha dos prefeitos” reunindo mais de mil chefes de municipalidade do país inteiro e acompanhados de uma ruma de assessores aleatórios”. É normal de na mesma proporção garotas de programa se deslocarem de Goiás e Minas Gerais, em uma “marcha”, com outra pauta. Durante o dia reuniões, almoços, farras e pedidos de ajuda, ao governo federal.

Com programas tabelados entre 500 e 5000, a festa rola nas boates e prostibulos da capital.

Precário e ineficiente

No Brasil o instituto da ressocialização é precário e ineficiente, o sistema carcerário, com superlotação em todos os presídios, contribui para o agravamento da violência e por não ser adequado também para que alguns presos, após cumprir suas penas, saiam com maior potencial criminoso.

Já está claro que em cada “saidinha” concedida, acontecem muitas fugas e pratica da reincidência de novos crimes.

Os “frutos” da tragédia

Parece incrível, mas não é tanto assim, quando se constata que alguns prefeitos do Rio Grande do Sul, chegaram a comemorar as enchentes, que mataram e destruíram muitas famílias, na perspectiva de muito dinheiro nos cofres das prefeituras.

Numa reunião virtual com prefeitos do Rio Grande do Sul nesta semana, ministros de Lula ficaram incrédulos quando um gestor ofereceu o Pix pessoal para receber recursos federais.

“Presto conta de tudinho”, garantiu o esperto.

Já o prefeito de Porto Alegre, também bolsonaristas, indicou o Pix de um assessor.

Tudo empate

Quem pensou que a CPI construída por Renan Calheiros daria em pizza, se enganou, deu em m..da.

Os “bodes expiatórios” foram apenas agentes executivos da Braskem. Contrariando todo um enredo que supostamente envolve figuras expressivas da política local, ninguém foi indiciado, mesmo aqueles que negociaram por fora e receberam alguns milhões, por imóveis sem valor de mercado. Ficou fora também a negociação antecipada da prefeitura de Maceió. Tudo empate nesse jogo sujo.

O tigrinho mata

A perigosa tendência dos jogos de azar online, conhecida como “jogo do tigre,” fez mais duas vítimas em menos de um mês no Maranhão. Rafael Mendes, de 17 anos, é a mais recente. Ele recorreu ao suicídio, por dividas com o jogo.

Aqui mesmo o megaempresário Rafael Tenório veio a público externar sua preocupação diante da situação de grande parte de seus empregados, envolvidos em dívidas em consequência, por ter perdido no “tigrinho”. Sua fala ganhou repercussão nacional e chamou a atenção para o grande número de casos de suicídios e desespero de pessoas envolvidas em dívidas com bancos, agiotas, outras até roubando para sustentar o vício no jogo on-line, que está causando tantas mortes e arruinando famílias.

Gestões “cooperadas”

O esquema de fraudes descoberto nas prefeituras, pelo ministério público, já era do conhecimento de todos e envolve altas somas e milhões, todos com o mesmo “modos operandi”. Todos os municípios que contrataram através de uma “Cooperativa” estão envolvidos diretamente em um dos maiores esquemas e fraude e desvios de dinheiro público. O MP mostrou apenas uma parte e por estranho, não aparece nomes de prefeitos envolvidos até o pescoço com o esquema de corrupção. Vamos aguardar o desenrolar dos fatos.

Pílulas do Pedro

Pessoal da PF, CGU, TCU de passagens compradas para um passeio às prefeituras, entre outubro e janeiro. Mas as malas já estão sendo feitas.

Tem neguinho no Agreste, que se forem comprovadas todas as suas traquinagens, com o dinheiro público, vai morar no xilindró.  

Postado por Pedro Oliveira

O descaso é geral

24.05.2024 às 19:40


PARA REFLETIR

Falta empatia e é ampla a rejeição dos políticos tradicionais de Alagoas.

O descaso é geral

O descaso com o meio ambiente e a situação a qual está exposta a população não deve recair apenas no governador Eduardo Leite e administradores do Rio Grande do Sul. Os gaúchos são as grandes vítimas do momento, mas grande parte da população vive em estado de vulnerabilidade, face a falta de seriedade com a políticas públicas, voltadas para a prevenção de desastres naturais e a exploração equivocada do meio ambiente.

 Para se ter uma ideia o Fundo Nacional para Calamidades Públicas, Proteção e Defesa Civil, o Funcap, existe, mas nunca foi usado — embora bastasse um decreto presidencial ou legislativo para isso

A tragédia foi prevista

O acidente ambiental que causou destruição e mortes no Rio Grande do Sul, tem culpados, sim e poderia ter sido evitado ou pelo menos acontecido em menores proporções. As opiniões abaixo são de duas das maiores autoridades em política ambiental, ainda quando se discutia a flexibilização da legislação ambientalista, proposta pelo governador, Eduardo Leite em seu primeiro mandato:

“Na região do rio Antas-Taquari [nordeste do RS], a abertura de campos de soja vem destruindo as cabeceiras dos rios. E essa legislação de agora permite ainda mais obras, até hidrelétricas, sem consulta às comunidades atingidas”. (Paulo Brack, professor do Instituto de Biociências da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul)

“É um projeto desestruturante, destruidor e prostituinte, porque prostitui a questão ambiental numa liberalização infundada que destrói 10 anos de trabalho”. (Francisco Milanez, presidente da Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural).

Quadrilhas em ação

“Institutos”, “cooperativas” e outros nomes empresariais, infestaram as prefeituras nos últimos anos, todas com a expertise em burlar legislações, mascarar contas públicas e pagar milhões de propinas a gestores sem compromisso com a moralidade e a legalidade. É lastimável, mas uma verdadeira formação de quadrilha instalou-se na administração pública, acreditando na impunidade e na inercia dos órgãos de Controle Externo, além das “facilidades” encontradas nas relações institucionais governo/crime/judiciário/ministério público, sempre livrando essas associações criminosas, fazendo crer que aqui o crime realmente o crime compense. Essa relação promiscua tem se fortificado nos últimos anos, ao ponto de ser de conhecimento público e ninguém faz nada. Operações feitas pelo Ministério e Policia Federal, estão tão desacreditadas, que já não assustam seus alvos, que apostam sempre na impunidade. Até quando?

Lira prega consenso

(BRASÍLIA) - O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), defendeu um texto de consenso sobre a desoneração da folha de pagamentos para municípios. Segundo ele, é importante que se permita – de um lado – que as prefeituras ganhem um fôlego maior para poder se recuperar dos custos do período pós-pandemia e, de outro, que se atenda à necessidade de o governo federal realizar o ajuste fiscal.

Pauta animal

Soube, por fonte altamente confiável, que prefeito JHC vai surpreender a todos em relação à Pauta Animal, mas anúncio só mais na frente. Claro que vai esperar o momento político adequado e transformar o anúncio em mais votos, além dos muitos que tem. A fonte me revelou e pediu segredo. Em segredo ficará.

Piada eleitoral

A Justiça Eleitoral perde a pouca credibilidade que tem, ao condenar qualquer politico por “crime de abuso de poder econômico”, por sua leniência, durante o processo de eleições, fazendo vistas grossas aos “negócios” com praticas repetitivas, a cada eleição. Se agisse com seriedade não sobrava praticamente ninguém eleito.

A CPI do Renan

Nasceu e morreu, sem nada de importante acontecer, a CPI proposta pelo senador Renan Calheiros, para apurar a tragédia da Braskem, cujo propósito era atingir alguns de seus rivais. Como no caminho surgiram fatos que também envolviam e incriminavam alguns de seus aliados muito próximos, a comissão foi encerrada e não se fala mais nisso (até a campanha eleitoral).

Au revoir

Com o provável afastamento de Paulo Dantas, para concorrer às eleições em 2026, o vice Ronaldo Lessa, vira governador por alguns meses, mas permanecerá no “limbo”. Tem se comportado e feito tudo para agradar, mas seu nome não passa, nem de longe, pelo radar do governador e do deputado Marcelo Victor, os comandantes do pleito. “Au revoir”.

Pílulas do Pedro

Nunca brigue com um político, em nome de um seu aliado. Mais na frente estarão os dois contra você. 

A política atual prima pela falta de interesse para com o povo, e total interesse pelo lucro próprio e manipulação fácil.

 

Postado por Pedro Oliveira

A tragédia tem culpados

18.05.2024 às 13:40
Reprodução CNN

PARA REFLETIR

"É uma proposta leviana e precipitada. Deixa fazer o que os empresários do agro quiserem”. (Ambientalista gaúcho Francisco Milanez quando da aprovação do Código)

A tragédia tem culpados

O país ainda está impactado com a tragédia que se abate sobre o Rio Grande do Sul, com mortes e destruições como nunca aconteceu. O funesto evento que por muitos é chamado de “causas naturais” é uma mentira deslavada para acobertar um governador irresponsável, que, mesmo sendo advertido por entidades e autoridades ambientalistas, flexibilizou a legislação ambiental no estado. Um exemplo é o Código Ambiental que levou nove anos entre debates, audiências e aperfeiçoamentos, foi atropelado pelo governo Eduardo Leite (PSDB) em 2019, primeiro ano de seu primeiro mandato. Seu projeto limou ou alterou 480 pontos da lei ambiental do estado. O governador ignorou todos os alertas de ambientalistas e mesmo de órgãos de sua assessoria (Secretaria de Meio Ambiente e Infraestrutura)

A aprovação da lei era uma demanda do agro gaúcho e por aí já cabe imaginar os abusos e atropelos que formaram o rol de mudanças

O desastre previsto

O professor Francisco Aquino, do Centro Polar e Climático da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em novembro do ano passado, já havia chamado atenção para a probabilidade de ocorrerem novos eventos extremos em 2024, como tempestades e... como tempestades extremas e inundações, o que infelizmente, se confirmou. Ambientalistas afirmam que normas ambientais do RS foram enfraquecidas sob a gestão Leite (PSDB). As mudanças mais danosas, segundo eles, são as que aumentaram brechas para uso de áreas de preservação, inclusive em margens de rios, e afrouxaram o controle do poder público sobre atividades com alto potencial de degradação.

Eles sabiam do risco

 A pedido do governador, em 2020, a Assembleia do Rio Grande do Sul aprovou o novo código e mais recentemente, em janeiro deste ano, os deputados aprovaram uma lei que permite construção de barragens e outras obras de impacto em áreas protegidas. mais uma vez por pressão o agro gaúcho.

A mudança deixou locais mais vulneráveis a enchentes. Para os ambientalistas, a lei incentiva o desmatamento de áreas próximas a rios, cuja vegetação serve para conter o volume e a força das águas e mais, a floresta absorve uma parte [da enchente] e quebra a velocidade [da cheia]. Quando o solo está nu, as águas não apenas correm mais livremente como arrancam o solo por onde passam, provocando erosão. O risco é que aconteçam enchentes cada vez maiores mesmo com chuvas menos intensas.

Sem aliados

Já não se faz mais aliados como antigamente e isso ficou claro na saraivada de críticas públicas, feitas por vários vereadores, no plenário da Câmara, contra a gestão e a própria figura da secretária de Educação, Jó Pereira. “Soberba, incompetente e arrogante” foram algumas, das muitas expressões usadas para criticar a titular do cargo, por indicação do deputado Arthur Lira, nas negociações políticas do tome lá, dá cá. O vereador João Catunda foi além e “sugeriu” sua saída. No ar uma dúvida: o prefeito não tem o controle dos aliados, ou foi tudo combinado.

O São João de Maceió é massa

Onde tem um nordestino, tem um festejo de São João diferente. Espalhadas por cada canto desses nove Estados brasileiros, as festas juninas estão entre as mais brasileiras das expressões culturais. Hoje, elas comandam um calendário turístico impressionante que movimenta cerca de R$ 6 bilhões de reais e atraem literalmente milhões de pessoas de todo o Brasil para celebrar nossa cultura, nossa diversidade e se divertir de um jeito que só o Nordeste sabe fazer. Não à toa, A Azul Viagens, operadora de Turismo da aérea, criou programa para as festas juninas nordestinas. Entre outras ações, a Azul capacitou 3 mil agentes de viagem para as festividades. Isso porque as atrações são muitas, cada uma com seu destino e suas características.

Maceió está entre as cidades contempladas com pacotes especiais, que certamente vai incrementar nosso São João.

E esse povo ainda fica falando besteira, quando o prefeito JHC investe pesado no São João.

Alfredo Gaspar

O deputado Alfredo Gaspar tem tido um mandato em alto conceito e carreado vitorias para Alagoas. No plenário da Câmara é um dos parlamentares mais atuantes, deixando longe os demais integrantes da bancada local. Contundente em seus discursos, tem incomodado o governo e ganho prestigio na Casa e também na imprensa nacional, que cobre o Congresso. Hoje seria o único nome com potencial para enfrentar o prefeito JHC, com chances de ganhar.

E a CPI não deu em nada

Que final lamentável teve a CPI da Braskem, praticamente sem levar nada a coisa nenhuma.  Um fiasco já previsto desde sua proposta de criação pelo senador Renan Calheiros. Oitivas malfeitas, desinteresse dos participantes e pressões externas vieram, aos poucos, enfraquecendo. Acordo feito e cumprido, nenhuma autoridade alagoana foi convocada para depor, mesmo aquelas que supostamente “lucraram” com a tragédia. E o que vai acontecer com as famílias atingidas diretamente e perderam seus bens? Ai que mora o problema. Pode acontecer tudo, inclusive nada.

Pílulas do Pedro

Tem prefeito do interior que se for condenado pelo montante que “levou” da prefeitura, vai morrer na prisão.

Os Cadastros (ou máquinas de comprar votos) estão em plena atividade em Maceió, E Justiça eleitoral, nem aí.

Postado por Pedro Oliveira

O descaso com a tragédia

12.05.2024 às 13:00

PARA REFLETIR

Fundo Partidário e Emendas Parlamentares, duas excrescências que apenas fomentam a corrupção e o enriquecimento ilícito de políticos.

O descaso com a tragédia

Milhares de pessoas desabrigadas, famílias que perderam tudo, ricos que ficaram pobres de repente, adultos e crianças mortos, rebanhos de animais levados pela fúria das águas, milhares de cães e gatos resgatados ao se perderem de seus tutores, desespero, choro e muita solidariedade humana. Esse é o retrato comovente da tragédia que se abate no Rio Grande do Sul e que escancara não apenas os desígnios da natureza, mais ainda o descaso político e administrativo dos gestores públicos dos estados e municípios.

Praticamente nenhum estado, ou município  investe adequadamente na prevenção de desastres naturais, optando por obras de fachada e que rendam votos e conservando os riscos, para que a cada evento com danos e vítimas, recebam ajuda financeira do governo federal, não para investir nas ocorrências, para colocarem no bolso, grandes somas de dinheiro roubado. O governo ajuda essas quadrilhas, quando não busca a realização de obras de contenção de barragens, rios e áreas alagáveis, permitindo a recorrência a cada período de chuvas.

A burrice do PT

O Partido dos Trabalhadores já teve seu tempo de protagonismo na política de Alagoas, quando sua principal e única estrela era ex-senadora Heloisa Helena e alguns poucos nomes de expressão local. Aos poucos foi perdendo sua identidade, fazendo alianças equivocadas e com ideologias totalmente divergentes, chegando ao ponto de se unir com aquele que era seu maior algoz, o senador Renan Calheiros. Hoje sua representatividade é pífia na Assembleia Legislativa e quase não reelege seu único deputado federal (Paulão). Surge então a ocasião de ter um candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Rafael Brito, com chance, mesmo remota, de ganhar. Ai o seu presidente, Ricardo Barbosa (que não tem destino nem vocação política), se lança candidato dele mesmo. Vão ser burros assim na baixa da égua.

Paulo e Marcelo

Um no comando do Governo, o outro na Assembleia Legislativa e em torno de ambos uma sintonia política e pessoal inquebrantável (se é que existe isso no mundo político), com toda certeza será essa dupla que vai ditar as ordens gerais e irrestritas nas eleições de 2026. A cada dia se confirma que a liderança de ambos ganha amplitude e até suas características se confundem: são mestres no xadrez politico e no cumprimento de acordos assumidos, gerando confiança e até admiração dos aliados. Pode anotar: no cenário eleitoral da disputa de 2026, as candidaturas majoritárias terão, obrigatoriamente, que passar pelo crivo de Paulo Dantas e Marcelo Victor.

Toc..toc..toc

Pelo menos 10 prefeitos contam com a participação no primeiro escalão do governo Paulo Dantas após e eleição e ficar sem mandato. Reação do governador em seleta roda “só se eu criar um governo paralelo”. Esses prefeitos necessitam mesmo e de gente muito competente para fechar suas contabilidades e prestar contas da dinheirama, principalmente verbas federais e grana fácil das imorais Emendas Parlamentares, conseguidas com o compadrio com senadores e deputados federais. Os meninos da Polícia Federal, sabem fazer essas contas.

Tô nem aí

(BRASILIA) - Parlamentares eleitos em 2022 não demonstraram prioridade na aplicação de suas emendas para temas relacionados ao meio ambiente e mudanças climáticas, mesmo com o aumento de tragédias, como a vivida atualmente no Rio Grande do Sul e outros estados.

Desde o início da gestão de Marina Silva, o Ministério de Meio Ambiente e Mudança Climática recebeu indicação de emenda de apenas uma deputada: Célia Xakriabá (PSOL-MG)

 A parlamentar indicou R$ 1 milhão para a ação de "Implementação e Monitoramento da Política Nacional sobre Mudança do Clima", em seu estado.

MST salvando vidas

No primeiro momento as pessoas não acreditavam no que estava acontecendo , quando no auge da tragédia gaúcha, caminhões e outros transportes com a marca do MST começaram a chegar nos locais mais críticos , onde haviam pessoas desalojadas, sem comida e sem água. Uma estrutura foi montada e a partir daí milhares de quentinhas, água e outros itens de alimentação. Tudo produzido nos assentamentos, produtos orgânicos. Os trabalhadores e trabalhadoras do movimento distribuindo e acolhendo. Precisamos ver o lado valoroso lado positivo e não apenas as invasões

Tudo junto e misturado

(BRASILIA) - A Câmara dos Deputados aprovou projeto de lei determinando às companhias aéreas que oferecem o serviço de transporte de cães e gatos a colocá-los dentro da cabine do avião, onde ficam os passageiros. A matéria será enviada ao Senado. De autoria do deputado Alencar Santana (PT-SP) e outro projeto de lei foi aprovado com substitutivo do deputado Fred Costa. O texto define que os animais de estimação abrangidos pelo projeto são apenas cães e gatos e a regra se aplica aos voos domésticos.

Mais riscos ambientais

(BRASÍLIA) - Enquanto as tragédias ambientais acontecem os deputados trabalham para favorecer mais riscos e danos ao meio ambiente. A Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 1366/22, do Senado, que exclui a silvicultura do rol de atividades potencialmente poluidoras e utilizadoras de recursos ambientais. A matéria será enviada à sanção presidencial.

Com essa exclusão, a atividade de plantio de florestas para extração de celulose (pinhos e eucaliptos, por exemplo) não precisará mais de licenciamento ambiental e não estará sujeita ao pagamento da Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental (TFCA).

Pílulas do Pedro

O deputado Arthur Lira e o Prefeito JHC, segundo rumores intestinos, andam se estranhando. A causa, o nome para vice.

Já vi muitos candidatos de “salto alto”, se considerando eleitos, levar um tombo e perder a eleição. 

Postado por Pedro Oliveira

A Ditadura roubou nosso Nobel

05.05.2024 às 12:40


PARA REFLETIR  - Se quiser saber quem controla você, é só observar a quem você não pode criticar”. (Voltaire)


A Ditadura roubou nosso Nobel

Continuando minha abordagem, para que ninguém esqueça e os mais jovens conheçam, lembrei do único brasileiro que foi indicado e seria agraciado para o Prêmio Nobel e barrado pela Ditadura Militar.

Dom Helder Câmara foi indicado quatro vezes para o Prêmio Nobel da Paz pelo seu combate à ditadura e às torturas no Brasil. Em 1970, o então presidente da República Emílio Garrastazu Médici instruiu pessoalmente o embaixador brasileiro na Noruega para tentar impedir que este prêmio lhe fosse concedido. Um dossiê reúne diversas correspondências trocadas por autoridades entre os anos de 1970 e 1973. Dom Helder apresentava todos os pré-requisitos para ganhar a premiação devido a sua atuação humanitária e contrária à ditadura. Porém, ganhar o prêmio daria uma grande visibilidade para os problemas que o Brasil vivia como torturas e perseguições a quem era oposição

Ministro Show

Duas coisas que chamam a atenção e geram comentários maldosos contra o ministro Renan Filho, na Esplanada os Ministérios:  suas “desvairadas” exposições midiáticas e as desnecessárias viagens internacionais, sempre com um bando de acompanhantes, para fazer nada. Segundo se comenta, o presidente não está gostando e até já encarregou um ministro palaciano para levar o incomodo ao “serelepe” ministro dos Transportes.

Na próxima semana sua excelência já vai estar em Nova York participando de um dos maiores eventos do setor, o Road Show NY” – e em sua “trupe” estará até um prefeito do interior de Alagoas, que certamente terá dará uma grande contribuição ao evento.

Só pensam naquilo

BRASÍLIA - Mesmo com as vedações da Lei das Estatais (criada no governo Temer, para acabar com a farra dos jetons) quase metade dos 38 ministros do governo Lula (PT) ocupam cargos em conselhos de empresas e fundações e acumulam salários. A maioria deles é filiada ou ligada ao PT. Pelo menos 17 ministros (45% do total) têm funções em conselhos administrativos ou fiscais de empresas e fundações privadas e públicas. … Os ministros ocupam cargos em conselhos de entidades públicas, mistas e privadas. As atividades geralmente envolvem reuniões mensais, com carga horária variada. Com esse mecanismo os salários de alguns ministros chegam a triplicar.

De hospital, eu conheço

(BRASÍLIA) - A Comissão Parlamentar de Inquérito, que investiga a tragédia da Braskem tem avançado em suas convocações para realizar, mas depoimentos de pessoas envolvidas direta ou indiretamente com o acidente que mudou a vida de milhares de pessoas e segundo apurei, in loco, muitos caminhos ainda serão seguidos, procurando culpados. Estive na Comissão no dia em que prestou depoimento o procurador geral do Município João Luiz Lobo Silva, cujo conteúdo desagradou a maioria dos membros da CPI. “Argumento fraco e frio”, me disse um senador. Depois da reunião, fiquei escutando em uma “rodinha” entre jornalistas e o senador Omar Aziz, não perguntei, mas passei uma pergunta para um colega à qual o senador respondeu: “De hospital eu conheço muito, da construção a operação, ora se conheço”, disse sorrindo.

Detran é exemplo

O Departamento de Trânsito de Alagoas, sob a gestão de seu diretor, Marcos Fireman, tem conquistado importante destaque no quesito governança e compliance diante das demais unidades da federação. Com uma equipe afinada e em permanente processo de aprimoração, tem inclusive contribuído com alguns projetos para outros estados. No colegiado dos órgãos de trânsito estaduais, exerce conceituara liderança. Um profissional antenado com o nível de gestão de resultados.

O ritmo do governador

O governador Paulo Dantas da sinais evidentes de que quer ir longe nas estradas políticas a vida. Devagarinho foi ocupando os espaços que são seus, mergulhou no interior com pautas altamente positivas e agregadoras. Sabe e fala a língua do matuto, pois foi de lá que ele veio. Do jeito que vai , “asfaltando o caminho e alargando  estradas”, chega em 2026  com cacife de chefe e o comando será todo seu.

Vergonha alheia

A Câmara de vereadores de Maceió se desmoraliza e se apequena, quando “distribui” títulos honoríficos, agraciando figuras que além de nada terem feito pela cidade, ainda lhes pesam condutas desprezíveis, a exemplo da ex-primeira dama Michelle Bolsonaro. Agora foi a vez da senadora Damares Alves (aquela que viu Cristo na goiabeira), por proposição do vereador Pastor Oliveira (registre-se não é meu parente). Pior do que propor a aberração é sua aprovação.

Os alagoanos não vão tolerar o retrocesso da violência política, e confrontos de ódios nas eleições.

Soube que a oposição ao prefeito JHC está aguardando um reforço do “Hamas” contratado pra a campanha. 

Postado por Pedro Oliveira

Rodrigo Cunha, o vice

27.04.2024 às 11:20


PARA REFLETIR -“Em política, a comunhão de ódios é quase sempre a base das amizades”. (Charles Tocqueville)


Rodrigo Cunha, o vice

O prefeito JHC não revela para ninguém, mas seu companheiro de chapa está quase definido e será o senador Rodrigo Cunha. Todos os caminhos levam as decisões para essa resolução. Cunha sai candidato, sem nada a perder, larga o “fantasma” de 2026, que o ameaça e para assumir a prefeitura, caso o prefeito seja reeleito e se candidate a governador. Muitos são os que desejam essa atrativa vaga de vice, mas dificilmente outro terá essa chance.

Histórias da Ditadura

A ditadura militar brasileira teve início em 1.º de abril de 1964. E terminou em 15 de março de 1985. De caráter autoritário e nacionalista, teve início com o golpe militar que derrubou o governo de João Goulart, o então presidente democraticamente eleito.

Apesar das promessas iniciais de uma intervenção breve, a ditadura militar durou 21 anos. Além disso, o regime pôs em prática vários Atos Institucionais, culminando com o Ato Institucional Número Cinco (AI-5) de 1968, que vigorou por dez anos. A Constituição de 1946 foi substituída pela Constituição de 1967 e, ao mesmo tempo, o Congresso Nacional foi dissolvido, liberdades civis foram suprimidas e foi criado um código de processo penal militar que permitia que o Exército brasileiro e a Polícia Militar pudessem prender e encarcerar pessoas consideradas suspeitas, além de impossibilitar qualquer revisão judicial. ( um pouco da história da ditadura para os jovens de hoje, que não conhecem a história brutal, que torturou e matou muitos brasileiros)

Conversa fiada

Técnicos do governo que participaram de audiência pública na Câmara dos Deputados disseram que o objetivo do governo é ter 80% das rodovias federais em boas condições até o final do ano. Esse índice era de 52% em 2022 e está hoje em 67%. A audiência foi realizada pela Comissão de Agricultura e buscou levantar os gargalos para o escoamento da safra brasileira.

Os parlamentares não levaram muito a sério as previsões, pois o quadro apresentado não é a realidade. Muitos projetos estão “travados” e na opinião de um dos líderes do governo “o ministro conversa muito, mas as ações são apenas nas redes sociais.

Quanto custa um voto?

Na última eleição a cotação do voto oscilou entre 50 e 100 reais, tabela para a capital e interior. Os candidatos com suas equipes de “cadastradores” entraram em campo e ganharam aqueles que investiram mais e souberam administrar suas lideranças políticas e a gestão de recursos. O fato é imoral e danoso ao processo eleitoral, mas falta pouco para ser liberado até pela Justiça, que finge não existir. Não sei ainda a cotação do voto para este ano, mas os cadastros já estão em franca atividade.

Liderando o Norte

O prefeito de Paripueira Abraão Moura, que exerce o seu terceiro mandato é indiscutivelmente a mais consolidada liderança política da região Norte do estado. Criterioso, boa praça, tem como poucos o conhecimento da gestão pública legal e eficiente. No pleito próximo vai comandar não apenas sua reeleição, mas a volta de sua mulher na prefeitura de Barra de Santo Antônio e ainda interferir em outros municípios da região.

Ministro alagoano

Alagoas tem a chance de pela primeira vez ter um ministro no Tribunal Superior do Trabalho. O jovem advogado Adriano Avelino encabeça a lista tríplice que será submetida ao presidente Lula para escolha do novo ministro para a Corte.

Adriano já esteve na lista concorrendo a vaga em 2010 e é uma das principais lideranças da Ordem dos Advogados do Brasil (AL). Com destacado saber jurídico e experiencia, será um nome a engrandecer a Corte Trabalhista Nacional.

É a hora para que os políticos de Alagoas se unam em torno do seu nome, colocando de lado   questões locais e abraçando sua candidatura, engrandecendo o estado.

Puxão de orelhas

O Ministério Público do Estado de Alagoas (MPAL), por meio da 44ª Promotoria de Justiça da Capital (da Infância e da Juventude), ajuizou ação civil pública para que o Município de Maceió , no prazo de 15 dias, envie relatório constando que os veículos que fazem o Transporte Escolar são semestralmente inspecionados, o número total de alunos da rede, as rotas feitas por veículo e os respectivos números de viagens. O Ministério Público pede  ainda que o Município pormenorize no sistema “Transporte Legal” – criado para garantir a qualidade no traslado de crianças e adolescentes para as escolas e no retorno às suas casas – tudo o que for considerado obrigatório, permitindo dessa forma acesso dos pais e da sociedade à realidade sobre o transporte escolar da rede municipal de educação de Maceió.

Em Maceió vai ser assim: quem tiver mais grana, ganha. Quem tiver mais vergonha perde.

Gervásio Neto surge como a mudança de rumo na eleição de Palmeira dos Índios.

Postado por Pedro Oliveira


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]