Dólar com. 5.1471
IBovespa 0.58
25 de abril de 2024
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Governador abre 1ª reunião do Conselho Estadual do Alagoas Sem Fome

Blogs

Serenidade, senador

04.06.2023 às 16:40
Agência Senado


PARA REFLETIR - "Caquético", falido", fedido e provoca a eterna desconfiança da sociedade", (Opinião de Renan Calheiros sobre o Sistema Político Brasileiro (2016)

Serenidade, senador

Não tenho absolutamente nada contra o senador Renan Calheiros e respeito a sua trajetória política. O conheci muito jovem, estudante de Direito, calçando alpercatas e distribuindo o jornalzinho do Partido Comunista no Campus da Universidade. Tinha um ideal e professava essa ideologia, junto com camaradas como Edberto Ticianeli, Denis Agra, Regis Cavalcante, Aldo Rebelo Freitas Neto e outros Sempre estivemos em lados opostos, mas dentro de um critério de mutuo respeito.

Calheiros fez da política sua profissão e de um deputado estadual provinciano (1978), foi para a Câmara Federal, (1982), depois, embalado na força de Fernando Collor até então seu opositor e daí pra frente só ascendeu, fazendo-se o homem mais poderoso do Senado e do Congresso Nacional.

Vejo hoje um Renan envelhecido, se encaminhando para “pendurar as chuteiras”, com uma carreira de vitórias (e derrotas) mas ao que parece, com muito ódio dentro de si. Faz ataques virulentos contra seus adversários políticos, envolve o íntimo de famílias, esposa, filhos, esquecendo sua própria vida privada e os percalços que sofreu, em decorrência de graves denúncias no mesmo tom, na imprensa nacional e no próprio Senado. Como sou mais velho posso aconselhar:” tira esse ódio do coração, pois pedras atiradas sempre voltam e podem nos ferir com gravidade. Serenidade senador...serenidade”.

Tudo igual

O prefeito de Palmeira dos Índios está em dia com os vereadores, que freneticamente se exibiram em pose ao lado do “alcaide” esta semana. Contas feitas, contas refeitas e as adesões, nem tão quanto voluntárias, garantem uma sobrevida, não até a eleição, pois novas contas haverão de ser feitas.

Por oportuno os vereadores avalizam a trôpega gestão, zombando da cara dos palmeirenses, diante da destruição do patrimônio público, histórico e cultural da cidade. O principal ponto histórico (Casa de Graciliano Ramos) fechada e delapidada, a Biblioteca Municipal (fechada), o Museu Xucurus (fechado e o patrimônio danificado). Esse povo só pensa mesmo “naquilo”.

O embate continua

Conversei com o deputado Arthur Lira, na quarta-feira, em meio à confusão do dia de votações controversas no plenário da Câmara. Mostrou-se muito irritado com a baixaria de seus adversários que “na ordem do dia” fizeram divulgar mais um maldoso boato impingindo a ele a tratativa com o governo para a saída de determinado ministro. Ele fez essa declaração à imprensa e me repetiu: “A origem da desinformação é na mesma linha daquele que tem usado as redes sociais, (leia-se Renan Calheiros) e seus prepostos, para me desrespeitar gratuitamente. Isso eu não admito e exijo respeito.

O novo Lobão

O jovem político Lobão cortou as madeixas, deu um trato na aparência e surge com um visual de “surfista da Lagoa”, descendo o malho na prefeitura e despontando como provável candidato para enfrentar JHC (muitos outros virão).

Eleito vereador com grande votação, chegou a assumir a Assembleia Legislativa, com uma produção melhor que a maioria dos deputados. Pode até entrar na briga como um “azarão”, mas a história das eleições tem linhas tortuosas. E se o Lobão surpreender? Tem uma máxima que diz “água de morro abaixo, fogo de morro acima e vontade de eleitor, não tem quem segure”.

Rose Davino

Setores caolhos da imprensa local exploraram semana passada a possibilidade da deputada Rose Davino se afastar do Assembleia e que a mesma estaria descontente com a nova experiência no parlamento. O descontentamento ela não esconde e não é pra menos, ao se deparar com a letargia e despreparo dos seus colegas, salvo raras exceções. Porém quanto a se afastar, “nem morta”. Segundo ela “não vou deixar meu mandato por nada, lutei muito sofri um enfarto. Tenho minhas convicções políticas. Minhas insatisfações são sinônimos de luta, de resistência e nunca de desistência. Fui eleita para lutar por Alagoas”. Ressalte-se, Rose Davino é de longe, a mais preparada da bancada de mulheres da Assembleia.

Suzana Palmeira

Nestes meus 54 anos de jornalismo político sempre destaco que Alagoas estaria melhor se todas as “primeiras damas” fossem da estirpe de Suzana Palmeira e Luzia Suruagy. Minha querida Suzana partiu essa semana. Com ela tive contato mais frequente, por conta de minha função institucional e pessoal com o seu amado Guilherme Palmeira. Discreta, inteligente e dotada de elevado espírito de solidariedade, não propagava o que fazia e fosse nos dias de hoje, tenho certeza não estaria em redes sociais, de braços com o mundo midiático. (não desfazendo as que o fazem, pois é o normal).  Suzana e Guilherme deixam como seus maiores legados Rui e Solange, que se mesclam entre amizade, lealdade e integridade, coisa muito rara em nossos dias.

Jeito de fazer

Na quinta feira o governador Paulo Dantas recepcionou a imprensa, com um café da manhã, oportunidade em que foi feito o lançamento da Galeria Falcon Barros, espaço virtual onde ficarão gravados os registros de fatos e personagens da história de Alagoas. A homenagem ao premiado colega foi idealizada pelo Secretário de Comunicação, Joaldo Cavalcante, que empreende permanente canal de relacionamento entre o governo e jornalistas, de maneira muito eficiente e respeitosa.

Pílulas do Pedro

MP do Marco temporal votar sim ou não é questão de coerência. Se abster é vigarismo.

Postado por Pedro Oliveira

Na mira certa

28.05.2023 às 07:00


PARA REFLETIR 

Não sei porque, de quatro em quatro anos, Palmeira dos Índios recebe uma maldição.

Na mira certa

O governador Paulo Dantas não tem construído sua vida política ao acaso. Prefeito, deputado estadual, caiu no seu colo uma eleição indireta pra governador que ele buscou, costurou e ganhou: ninguém lhe deu. Com habilidade conseguiu montar uma frente invencível no pleito seguinte e o resultado está aí, com mais um período de governo. Sua gestão, nesses primeiros meses, bem avaliada, tem cumprido regiamente os compromissos assumidos e levado obras e serviços para os municípios do interior, sem esquecer a capital. Caminha na mira certa, cacifado para o embate que escolher em 2026. Quem planta colhe. 

Marcius Beltrão

A Educação pública alagoana está caminhando para melhor. Sem estardalhaço, também sem ações puramente midiáticas, os números positivos estão crescendo e a comunidade escolar (diretores, professores e alunos) se sentindo mais segura em relação as ações imediatas e para o futuro. O governador acertou quando optou por preservar e manter o secretário Marcius Beltrão, no comando da pasta. Discreto e operoso o líder político da região Sul, não é nenhum neófito encantado com o poder. Administrou nossa linda Penedo com responsabilidade e profícua administração, onde passa deixa sua marca de eficiência.

Esse não!

Em reunião para definir alguns nomes para a CPI dos atos criminosos de 18 de janeiro, entre lideranças de partidos e o prestigiado presidente da Câmara Arthur Lira, algum “cacique” aventou o nome do senador Renan Calheiros (dizem alguns que foi de brincadeira), quando Lira dá um sorrisinho sarcástico e diz: “Esse não”. Acredita-se que tão logo a informação vazou para o Senado, Calheiros se apressou em declarar que “não tinha nenhum interesse em participar da comissão”, tentando não acusar o tombo.

Um passeio

Se o governo não tratar de arranjar um candidato viável para confrontar com o prefeito JHC, pode preparar o caixão para carregar o defunto. Os nomes apresentados até agora são pífios e sem qualquer densidade política nos votos da capital. José Wanderley, Rafael Brito e Cibele Moura, os três juntos jamais chegariam aos votos de um prefeito eleito com mais de 200 mil votos e que cresceu muito com sua excelente administração, além de contar em seu apoio com os dois maiores adversários que enfrentou em 2020, Alfredo Gaspar (156704) e Davi Filho (97409), e ainda  do poderoso presidente da Câmara Arthur Lira. Tá bom ou quer mais?

Furando a bolha

O senador Renan Calheiros procura, a todo custo, furar a bolha de sua rejeição em Maceió e para isso tem investido em ações tardias contra a empresa Braskem, responsável pelo maior desastre ambiental da história de Alagoas.

A tragédia aconteceu há cinco anos atrás e causou traumas pessoais e prejuízos a milhares de famílias, algumas inclusive com mortes, em consequência de traumas. Durante esse tempo todo não se ouviu um pio do senador que de repente acha que vai ser “a cereja do bolo”, em busca de conquistar os votos da capital. São outros, no entanto, que realmente lutaram pelos direitos das famílias que saberão a quem agradecer. Na verdade, mesmo, o grande mérito de qualquer conquista será da Defensoria Pública de Alagoas. O resto é pura figuração.

Fake news, mais uma

Quanto mais a briga eleitoral se aproxima e 2024 já chegou, surgem de lado a lado noticias falsas, na busca de desconstruir reputações. Durante a semana rolou nas redes sociais de queo Governo de Alagoas irá substituir a segurança dos hospitais por reeducandos do sistema prisional.

Em contato com a secretaria de Comunicação a informação é que “o Governo de Alagoas está analisando os contratos de segurança das unidades hospitalares devido a questões orçamentárias, buscando sempre a melhor solução para proteger também os profissionais que se dedicam à função de zelar pelo patrimônio público”. Outras mentiras haverão de acontecer.

Cadê o dinheiro?

A coisa está ficando feia e vai ter consequências. Setenta e cinco prefeituras de Alagoas estão inadimplentes com o governo federal e impedidas de receber verbas até que resolvam suas pendências de prestação de contas. Em algumas os motivos são sanáveis: erro contábil, contratação com pendencias, licitações contestadas e muitas com evidências de fraude, superfaturamento e conluios. O fato se estende a muitas Câmaras de Vereadores. Se o Tribunal de Contas não detecta, por motivos óbvios, os órgãos federais estão de olho e vão chegar.

Pílulas do Pedro

Palmeira dos Índios, Biblioteca Municipal (fechada); Casa Graciliano Ramos

(fechada e acervo danificado; Museu Xucurus (fechado e acervo destruído) –

É essa a “capital da cultura”? Eita prefeitinho aprumado.

Postado por Pedro Oliveira

Olha a Beija Flor aí gente

22.05.2023 às 10:40
Itawi Albuquerque - Secom Maceió


PARA REFLETIR “Está se sentindo deprimido, suprimido ou reprimido, tome uma atitude. Com gelo ou pura, levante a cabeça e siga em frente”.


Olha a Beija Flor aí gente

A feliz ideia da Prefeitura de Maceió em levar nossa história, folclore, gastronomia e belezas naturais para o Carnaval do Rio, como enredo da consagrada escola de samba Beija Flor de Nilópolis, agradou muito ao trade de turismo da capital, que se pronunciou “a ideia é de extrema importância para atrair o público nacional, ou estrangeiro. A cidade disputa um mercado concorrido, com outras ofertas de lazer, sol e mar e para que possa ser vista por mais gente tem que se investir em promoção de sua imagem e nada mais oportuno que o grandioso desfile de escolas de samba, na passarela mais famosa do país, a Marques de Sapucaí”. 

Haja mordomia

Pelas leis brasileiras todo ex-presidente tem direito a 8 assessores para acompanhá-los durante toda a vida e dois veículos de luxo, com salários bancados pelo governo federal.

Durante os dias de férias ou reclusão nos EUA apenas com diárias foram gastos quase 400 mil reais.

Todas essas mordomias bancadas com o nosso dinheiro, em um país no qual milhões passam fome não é justo.

Madame Bolsonaro

(BRASÍLIA) - A pose de cristã limpinha perdeu o prazo de validade para Michelle Bolsonaro. Madame virou um inquérito policial esperando na fila para acontecer. Os dados arrancados pela Polícia Federal do celular do coronel Mauro Cid tornaram o interrogatório de Michelle incontornável. De coadjuvante de uma rachadinha do senador Flávio Bolsonaro, a agora presidente do PL Mulher, tornou-se estrela do seu próprio escândalo financeiro.

O cartão de crédito de Michelle está em nome de uma amiga. As contas foram pagas pelo ajudante de ordens do marido. Em plena era do PIX os hábitos de consumo da então primeira-dama são cobertos em dinheiro vivo.

Cardápio físico

Várias assembleias legislativas estão aprovando leis que obrigam o uso de cardápios físicos em bares e restaurantes, item banido desde o início da pandemia para evitar contaminação. O uso apenas de CR CODE está trazendo constrangimento a alguns clientes, principalmente pessoas idosas. O Rio de Janeiro já aprovou a matéria e Minas Gerais e Brasília a lei já está pautada para ser votada.

E os nomes?

Dois estabelecimentos alimentares foram fechados na parte alta de Maceió, pela Vigilância Sanitária, que tem feito um bom trabalho na preservação do bem-estar e da saúde da população.  Apenas um reparo, caso a legislação permita: os nomes dos estabelecimentos deveriam ser publicados pelo órgão controlador, para evitar que clientes frequentem tais ambientes tóxicos, que certamente vão continuar sem regras de higiene e conservação em seus produtos.

Aldo Rebelo “amazônico”

O Aldo Rebelo “amazônico” é uma invenção recente. Até 2010, quando se tornou, na Câmara dos Deputados, o relator do Código Florestal, que o aproximou do agronegócio, não se tem notícia de qualquer iniciativa notável e específica de Rebelo sobre a Amazônia. Diz-se “nacionalista”.

Nos seus ataques ao jornalismo, Rebelo faz fileira com o que de pior foi produzido pelo bolsonarismo em termos de sentimento anti-imprensa. A comparação não é forçada, pois Rebelo traduz fielmente o que os bolsonaristas defendem sobre o destino da Amazônia e dos povos indígenas. (Com informação da Folha de São Paulo)

Flávio Dino vem aí

Nessa segunda feira deverá estar em Maceió, a maior estrela do governo petista, para fazer a doação de veículos ao estado e conversar com a imprensa alagoana. Trata-se do ministro Flávio Dino, da Justiça e Segurança Pública.

O ex-governador do Maranhão tem sido um “espinho” na garganta dos bolsonaristas, graças a sua inteligente maneira de dar respostas a parlamentares da oposição, que aparecem com falácias e provocações ao governo petista.

O “passeio” de JHC

Caso se confirme as tendências postas até agora no campo político da capital, o prefeito JHC vai renovar o seu mandato sem precisar fazer muita força. Com o seu potencial eleitoral, a aprovação nas pesquisas de opinião e o protagonismo de sua administração, crescendo a cada dia, a tendência é que dê  um banho em seus adversários que pelo menos atualmente reúne uma lista fragilizada a enfrentar, a exemplo de nomes como Cibele Moura, José Wanderley e Rafael Brito. Se a briga for essa, pode mandar fazer o terno de posse.

Pílulas do Pedro

Todo político deveria ser obrigado a mostrar “Carteira Profissional”, para comprovar que um dia trabalhou. A maioria não iria atender à exigência.

Por que todos os acusados de corrupção foram perdoados, menos o ex-senador Fernando Collor? Rei posto, rei morto.

Postado por Pedro Oliveira

Trabalhar que é bom

Deputados da ALE estabeleceram novo horário de trabalho às terças, quartas e quintas feiras, das 16h às 19h

14.05.2023 às 10:20
Ascom/ALE


PARA REFLETIR Eu sou a favor dos direitos animais bem como dos direitos humanos. Essa é a proposta de um ser humano integral.(Abraham Lincoln)


Trabalhar que é bom

Deputados da Assembleia Legislativa, naturalmente estafados pela imensa jornada de trabalho que desempenham, decidiram modificar os horários e dias das sessões deliberativas, em plenário. A partir de agora as sessões ficam para os dias terças, quartas e quintas feiras, das 16h às 19h. As segundas sequem de folga para descansar do fim de semana e as sextas, nova folga, até porque ninguém é de ferro. Como na Europa está sendo testada a semana de quatro dias, aqui sai na frente e reduz para três. Vamos ver se a produção aumenta.

Não vai ser fácil

(BRASÍLIA) - A batalha pela regulação das plataformas de internet não se resumirá à já árdua missão de aprovar o PL das Fake News no Congresso. Mesmo se a base aliada do governo Lula (PT) obtiver os votos necessários, uma série de pontos ainda devem ser alvo de debates futuros, uma vez que o projeto de lei prevê uma ampla regulamentação posterior.

Entre eles estão o detalhamento de como devem ser os relatórios de transparência e avaliação de risco das empresas, bem como os objetivos e etapas do chamado "protocolo de segurança". Este último ponto será o mecanismo por meio do qual seria possível flexibilizar o artigo 19 do Marco Civil da Internet, por tempo determinado sobre tema específico em caso de "dano iminente".

Luiza Barreiros

A jornalista Luiza Barreiros é uma profissional muito respeitada e querida no meio da nossa imprensa. Inteligente, preparada, construiu uma carreira brilhante no mercado local. Ao aceitar ir para Casa Civil do governo sempre achei que ali não era seu lugar, um órgão demasiadamente burocrático e na atual gestão com muita ingerência, nem sempre benéfica. Soube, por fonte confiável, que a situação a incomodou e ela agiu como ética e eficiente que é pedindo pra sair. O governo perdeu e a colega se manteve integra.

Tudo em família

O presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Álvaro Porto (PSDB), articula a candidatura de um sobrinho, o advogado Eduardo Porto, para uma vaga no TCE (Tribunal de Contas do Estado). O advogado substituiria, caso aprovado pelos deputados estaduais, o próprio pai, o conselheiro aposentado Carlos Porto.

O episódio em Pernambuco se soma a outros casos recentes de indicação de familiares ligados a políticos nos estados. Na Bahia, a esposa do ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT), a enfermeira Aline Peixoto, foi aprovada em março para o Tribunal de Contas dos Municípios do estado.

Também em março, no Pará, a advogada Daniela Barbalho, esposa do governador Helder Barbalho (MDB), foi aprovada para o TCE. Aqui em  Alagoas a administradora Renata Calheiros, esposa do ex-governador e ministro dos Transportes Renan Filho, também foi indicada para o Tribunal de Contas em dezembro. Os ministros do governo Lula (PT) Wellington Dias (Desenvolvimento Social) e Waldez Góes (Integração Nacional), ambos ex-governadores, emplacaram também suas esposas nos tribunais de contas do Piauí e do Amapá, respectivamente.

Já não seria a hora de acabar com essas sinecuras, que não servem para absolutamente nada?

Vão pagar pela língua

(BRASÍLIA) - A presidência da Câmara anda incomodada com as agressões verbais entre bolsonaristas e governistas especialmente em reuniões de comissões com sabatinas de ministros. A avaliação é de que as baixarias não mancham as imagens dos parlamentares individualmente, mas sim da Câmara. E Lira quer dar um freio nessas situações.

Em várias reuniões de líderes, o presidente já sinalizou que não vai impedir o direito de deputados falarem o que querem, mas que as falas - se desrespeitosas - podem ter consequências.

Sem Flip

Morro de inveja quando observo que vários municípios do interior realizam Feiras Literárias, com programação vasta de exposições, shows, palestras e vendas de livros, trazendo até atrações nacionais. Foi o caso de Penedo, mais recentemente, que tem no prefeito Ronaldo Lopes, um entusiasta da cultura e o desenvolver de sua cidade com a FliPenedo, ou os vários eventos culturais , realizados na capital e interior por nosso multicultural , Carlito Lima,  em contraponto com minha Palmeira dos Índios, que menospreza a cultura, justo a terra (adotiva) de Graciliano Ramos. Não é apenas pecado, mas criminoso.

Moeda de troco

(BRASÍLIA) - O Palácio do Planalto dá sinais de que manterá sua forma de articulação política com o Congresso Nacional ,mesmo após derrota imposta a Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Câmara dos Deputados e diante da crescente pressão por celeridade na liberação de emendas e nomeações de indicações políticas em cargos do Executivo.

As emendas parlamentares são recursos para deputados e senadores enviarem para obras e projetos em suas bases, com ganho de capital político eleitoral —e, por isso, são usadas como moeda de troca nas negociações.

Até quando vai aguentar ninguém sabe.

Pílulas do Pedro

E os novos “pais” do caso Braskem?  Cada mergulho é um flash.

Não entendo porque o protagonismo do deputado Arthur Lira incomoda tanto o senador Renan Calheiros. Dá pra todo mundo. 

Postado por Pedro Oliveira

Militares no lugar errado

07.05.2023 às 13:11


PARA REFLETIR Política é a arte de fazer com que as pessoas pensem que você pensa no que elas pensam, ou seja: exatamente no que você nunca pensou.(Luiz Roberto Bodstein)


Militares no lugar errado

Lugar de militar é nos quarteis, isso não é nenhuma novidade, mas a coisa na prática não funciona assim, muito especialmente quando se fala de Policias Militares, nos estados. As tropas já carentes de contingentes estão sempre desfalcadas pelo grande número de oficiais e outras patentes, saindo do efetivo que deveria cuidar da segurança da sociedade, que paga seus soldos, para servir a instituições civis como os Poderes Legislativo e Judiciário, com a aberração estendida ao Ministério Público e até Tribunais de Contas.

Sou do tempo da política antiga, na qual o presidente da Assembleia ou qualquer outro deputado (salvo em risco de morte e determinado por ato judicial) tinha direito a segurança armada. Também vivi o tempo em que um governador  (Guilherme Palmeira)  não gostava de ter essa regalia e o vi chegar em casa algumas vezes e mandar os militares se recolher , outras me chamava para “passear” na rua do comércio e me incumbia de dizer ao chefe da Casa Militar, que não queria ser “acompanhado”. 

Hoje uma grande quantidade de militares lota os gabinetes de autoridades e aos quais são atribuídas funções nada convencionais de estafeta, carregador de malas e até de jagunços.  Os tempos são outros e bem piores.

Barracas de praia

Um basta na bagunça

Em entrevista concedida a uma televisão local o promotor Marcus Romulo foi enfático: “Gostaria de chamar a atenção para o problema dessas barracas. Durante anos elas foram o cartão postal de Maceió. Nesse ínterim, porém, elas se agigantaram. Invadiram o espaço público muito além do permitido, fecharam a visão da praia, transformaram-se em restaurantes de luxo e casas de show, ou seja, desvirtuaram-se de sua finalidade primordial. Essas barracas necessitam retornar ao padrão original de sua outorga ou ter sua permissão cassada. 

Por outro lado, o cidadão maceioense precisa repensar sua cidade e decidir se há necessidade de tantas barracas assim. Algumas delas fomentam o turismo, outras já são uma tradição da cidade, mas há aquelas que nem ostentam uma coisa, nem outra. Apenas ocupam o espaço público e impendem a visão da praia. A única razão de existirem é o valor baixíssimo que pagam ao Município de Maceió pela outorga. Coisa de um salário mínimo mensal. Isso precisa mudar”.

Sem entrar no mérito da questão, até porque o ilustre promotor foi explícito o suficiente, resta saber que vai acabar essa distorção no uso do espaço público.

O medo é outro

O senador Renan Calheiros agora apareceu com mais uma novidade: fazer contagem regressiva para em relação ao número de dias que faltam para o deputado Arthur Lira terminar o seu mandato como presidente da Câmara Federal. O tema tem servido de piada nas rodas políticas e nas redes sociais. Alguns sugerem que senador não tem o que fazer. Já outros afirmam que a conversa é outra “a proximidade do fim do mando de Arthur e a provável sua candidatura fortíssima ao Senado ou ao Governo, tem deixado Calheiros insone diante da real expectativa de ficar sem um mandato”

Bem avaliado, mas...

O governo Paulo Dantas em pesquisas realizadas recentemente está em situação cômoda de avaliação. Vem cumprindo as promessas de campanha, tem prestigiado lideranças políticas e investido nos municípios do interior, com programas de inclusão social. O mesmo não pode se dizer do seu entorno que insiste na falta de atenção e arrogância com relação a pessoas e até autoridades que procuram o chefe do Executivo.  Está na hora de o governador dá um freio de arrumação e aquietar esses “mequetrefes”, que só atrapalham.

Na bronca com Big Techs

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, disse que acionará a advocacia da Casa para adotar as medidas cabíveis contra as chamadas big techs (grandes empresas de tecnologia como facebook, twitter e Google). “Houve muita pressão. Estamos colecionando relatos. Ameaças físicas, por meio das redes sociais. Independentemente do que cada deputado pense, as big techs ultrapassaram todos os limites da prudência”, disse ele, durante entrevista à imprensa.

Na opinião de Lira, a ação das empresas de tecnologia foi na prática o impedimento do funcionamento do Legislativo. “Você defender seu pleito, tranquilo, mas usar seus meios para cercear que outra parte se mobilize, isso não”.

Os melhores de Lula

O presidente Lula tem feito muitas críticas a vários de seus ministros, segundo revelou o site O Fato, de Brasília e cita alguns por inercia e outros por causa do viés midiático. No seu entorno as preferencias são pelos ministros da casa, como Rui Costa, (Casa Civil), Alexandre Padilha (Relações Institucionais), Paulo Pimenta (Comunicação) – que segundo ele” carregam o piano nas costas”, O petista tem destacado sempre o trabalho de Flavio Dino (Justiça e Segurança), Camilo Santana ( Educação), Margareth Menezes ( Cultura) e Wellington Dias ( Desenvolvimento Social).  Os demais pouco são citados.

Pílulas do Pedro

Aprovação da administração de Abraão Moura em Paripueira, assegura sua reeleição. Não terá dificuldade.

 No Palácio do Planalto o nome em alta em todos os gabinetes em relação a Alagoas é apenas do deputado Arthur Lira. Os demais são figurantes.

Postado por Pedro Oliveira

Arthur Lira vai punir

30.04.2023 às 10:40


PARA REFLETIR - O preço que o homem de bem paga para não se envolver na política é ser governado por pessoas sem caráter


Arthur Lira vai punir

Em meio aos casos de xingamentos, brigas e bate-bocas com deputados na Câmara, o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), pressionou os líderes das bancadas para controlar os parlamentares nas sessões de comissões e no plenário.

Lira quer advertência a deputados, com corte de salário e verba de gabinete, contra escalada de hostilidades. O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), pretende colocar um freio no que considera “excessos” na conduta de deputados em comissões e no plenário.

Lira vai punir II

A presidência da Câmara anda incomodada com as agressões verbais entre bolsonaristas e governistas especialmente em reuniões de comissões com sabatinas de ministros. A avaliação é de que as baixarias não mancham as imagens dos parlamentares individualmente, mas sim da Câmara. E Lira quer dar um freio nessas situações.

Em várias reuniões de líderes, o presidente já sinalizou que não vai impedir o direito de deputados falarem o que querem, mas que as falas - se desrespeitosas - podem ter consequências. Por isso, a ideia de dar um

exemplo. E punir três deputados bolsonaristas e três governistas para ver se o exemplo acaba com situações desse tipo.

Imposto para armas

Deputados do PT pretendem protocolar na próxima semana uma proposta que prevê a criação de um imposto sobre propriedade de armas de fogo, a exemplo do IPVA (sobre veículos), para financiar as ações de segurança nas escolas anunciadas pelo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).O Ipaf (Imposto sobre Propriedade de Armas de Fogo), da União, teria alíquota de 20% e seria anual. Autor do projeto, o deputado Alencar Santana (PT), diz que, assim que os ajustes forem concluídos, pretende procurar o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para pedir urgência na votação. “A arma, assim como um veículo, por exemplo, possui registro do proprietário. E o estado também deveria taxar, porque é um bem”. Até que a ideia é boa.

O chá é grampo e o suco prego

O governo tem se articulado em busca de vislumbrar um nome para enfrentar o bem avaliado prefeito da capital, mas as dificuldades são imensas. Além da fortaleza eleitoral que reveste o alcaide, os nomes até agora apontados não têm densidade para ganhar uma eleição, que a cada dia se torna mais visível do enorme capital de votos do hoje ocupante do cargo. José Wanderley, Rafael Brito, Alexandre Ayres e até o folclórico “estrangeiro” George Santoro, (acho que este citado de brincadeira) não são capazes fazer frente, nem de longe, ao poder de votos de JHC. Portanto, que os governistas se preparem, pois, “o chá é grampo e o suco é prego”, adianta um vereador de Maceió.

O velho Zema

Não me espanta que o governador Zema tente vestir a roupa do Bolsonaro. Ele nunca imaginou um minuto que Minas Gerais é a terra de Tiradentes, de Tancredo Neves, é a terra da democracia. Então, não é possível que um governador de modo vil se alinhe à extrema direita para proteger terrorista. Para os que o conhecem, Zema se revelou Zema e não enganou ninguém, com essa história de Novo. Ele e seus comparsas.

Cunha definhando

Imaginei que o senador Rodrigo Cunha tivesse aprendido a lição de casa dada pelas urnas e pesquisas. A maior causa de sua derrota foi sua distância do eleitor e do próprio mandato ao optar pela obscuridade no plenário e corredores do Senado Federal.

Pra completar seu entorno tem criado muitos problemas de relações políticas o que o complica a cada lance.

Está mesmo a cada dia, definhando mais.

O grande embate

Eleições se aproximando e as composições se ajustando, traições acontecendo e começou o “pega pra capar” da roubada de votos e das trapaças do ambiente político tóxico.

Maceió e Arapiraca, no contexto, são as cerejas do bolo. No caso da terra de Manoel André é difícil que alguém apareça com capilaridade para roubar a cena de Luciano Barbosa. Já em Maceió o atual prefeito, pelo menos no momento leva em WO. Mas na verdade o grande embate vai ser travado em duas frentes lideradas por Arthur Lira e Renan Calheiros, os chefes maiores da nossa tribo.

Pílulas do Pedro

Briga entre blogueiros tira do ar a página do INSTAGRAN “Política Alagoana”.

O juiz Braga Neto, sendo o juiz Braga Neto.

Entidades do setor de bares e restaurantes aplaudem a abertura de ruas no passeio Vera Arruda. Corretíssimo 

Postado por Pedro Oliveira

Os novos pais da tragédia

23.04.2023 às 10:40
Jorge Vieira


PARA REFLETIR

“Que continuemos a nos omitir da política é tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem”.  (Bertolt Brecht )


Os novos “pais” da tragédia

No dia 3 de março de 2018, um abalo sísmico na cidade foi o ponto de partida para uma investigação sobre o surgimento de rachaduras e afundamento do solo que atingiram os bairros do Pinheiro, Mutange, Bebedouro, Bom Parto e parte do Farol.

O tremor de terra mudou a geografia da cidade e a vida de cerca de 55 mil pessoas em cinco bairros. A empresa Braskem, comprovadamente responsável pela tragédia, foi a causadora de um dos maiores desastres socioambientais do país. Uma novela que se arrasta desde então com episódios envolvendo as famílias afetadas, muitas perderam tudo e algumas perderam vidas, governos que pouco fizeram, advogados pagos a peso de ouro, Ministério Público moroso, Justiça idem, até ações em Cortes Internacionais e políticos que nada falaram, na hora devida.

De repente passados cinco anos, aparecem então novos “pais” da causa da tragédia, com uma avidez mórbida por “justiça já”. Confesso que não entendi essa repentina, mas tardia ação. Daí esperar que aconteça tudo, inclusive nada.

Casa de Graciliano

Crime premeditado

Não importa que o prefeito de Palmeira dos Índios seja um aculturado, não é culpa sua se não teve a oportunidade de ter uma formação que o fizesse conhecer os valores históricos e culturais com os quais convivemos e devemos preservar, pode ser um tosco, mas não é burro (até sabido demais). Segundo publicado na imprensa, não apenas a estrutura física, mas objetos de grande valor histórico estão se deteriorando, no museu Casa de Graciliano, na cidade. O ato, comprovado, deve ser considerado crime contra o patrimônio público e histórico. Onde estão os promotores de Justiça do município? Alô Corregedoria do MP, vamos cobrar.

Maldade pura

Setores da imprensa caolha local insistem em criar uma onda irreal que o ex-prefeito de Maceió, Rui Palmeira, estaria no ostracismo e perdendo a expressão política. Pura inveja ou maldade mesmo. Na Secretaria de Infraestrutura Rui tem pautado uma agenda repleta de atividades, com programas na capital e muitas cidades do interior. Tem tido uma boa visibilidade na mídia, apenas não é de “fazer carnaval” por qualquer coisa. O governador Paulo Dantas o tem prestigiado e confia em seu trabalho, que certamente vai no caminho certo. Como diria o velho cronista de O Cruzeiro “os cães ladram e a caravana passa”.

Medicina seletiva

Está em estado terminal a situação por falta  de profissionais médicos no interior do país, pois os “doutores da vida”, após canudo na mão e o compromisso com o velho Hipócrates (ou Ἱπποκράτης, caso consiga pronunciar),  só querem saber de trabalhar no conforto das capitais e os pobres do interior que morram, claro que não são todos. A coisa chegou a um nível tão absurdo que na região Norte do Brasil, em estados da Amazônia, médicos especialistas cobram R$ 135 mil, por quinze dias de trabalho em cidades mais isoladas. A obrigação de pagar esse tipo de médico é dos governos federal e estaduais, que não o fazem aí o município que não tem recursos, assiste a morte da população.

Prefeitos fazem manobras, fogem da lei e se arriscam a uma condenação pelo Tribunal de Contas, mas vão deixar o pobre morrer à mingua?

Saúde, um direito de todos?

O SUS (Sistema Único de Saúde) paga hoje às prefeituras R$ 10 reais por consulta médica. Sejamos justos: qual o médico que vai se submeter a isso? Aí o município tem que completar, pois sua obrigação é com a baixa complexidade, só que a União e Estados não cumprem a sua parte na alta complexidade.

Para se ter uma ideia, uma empresa cobrou R$503 mil por um “combo” cirurgião, anestesista e obstetra por cada 20 dias em uma pequena cidade. A prefeitura recebe R$216 mil por mês para esse tipo de atividade médica, como fechar essa conta?

Programa “Mais Médicos” que o governo quer recriar é bom mais não resolve, pois paga apenas para a atenção básica, não inclui especialistas o que faz com que o problema persista. A ministra da Saúde, Nísia Trindade, foi notificada do caos. Uma das saídas apontadas seria a criação de bolsas para jovens médicos residentes especialistas. Pode até ser.

Arthur Lira

O combate à Fake News

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), reafirmou no Plenário que o projeto sobre o combate às fake news (PL 2630/20) será incluído na pauta de votações da última semana de abril. Ele disse ainda deverá discutir, na próxima semana, um acordo sobre os projetos que querem anular os decretos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para revisar o marco regulatório do saneamento.

O relator do PL das fake news, deputado Orlando Silva (PCdoB-SP), está negociando o texto com as lideranças e o governo. Os deputados deverão analisar o requerimento de urgência – que permite a inclusão do texto na ordem do dia e depende do aval de 257 deputados – para então votar o texto. No ano passado, a urgência foi rejeitada por 7 votos.

Lira defendeu a realização de um debate "amplo e claro" sobre o tema. "Não é justo para esta Casa que não tenha o seu direito de imunidade parlamentar estendido para as redes sociais; não é justo para esta Casa não ter como investigar quem planta terror na vida dos nossos filhos nas escolas; não é justo para esta Casa não debater temas de importância mais uma vez porque nós não teremos a solução deste problema se esse projeto não vier para o Plenário", disse.

Pílulas do Pedro

O presidente do IMA, Gustavo Lopes, profissional sério e competente, continua dando exemplo na administração do órgão.

O “bom” ministro Humberto Martins, enterrou de vez o voo das taturanas. Outras nascerão, com certeza. O ninho é prodigo.

Postado por Pedro Oliveira

O troco do mestre Arthur

15.04.2023 às 12:20
Câmara dos Deputados

PARA REFLETIR

Eu sou a favor dos direitos animais bem como dos direitos humanos. Essa é a proposta de um ser humano integral. (Abraham Lincoln)


O troco do mestre Arthur

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que o “superbloco” formado por 173 parlamentares não é um instrumento de “chantagem” contra o presidente Lula (PT).

O novo grupo é formado por legendas de esquerda e de direita: PP, União Brasil, Federação PSDB/Cidadania, Solidariedade, Patriota, Avante, PDT e PSB.

Trata-se, também, de um “troco” de Lira ao bloco recentemente constituído por Republicanos, MDB, PSD, Podemos e PSC, a reunir 142 deputados.

“Eu fico, às vezes, me divertindo com as narrativas. Esse bloco que foi criado não é para fazer oposição ao governo, não é para fazer chantagem ao governo. Essas versões que são criadas não ajudam neste momento”, disse Lira a imprensa. A tendência é o bloco crescer e o poder de Arthur Lira também.

Haja mordomia

Quando a gente imagina que já viu de tudo na política, sempre aparece uma nova, principalmente na vertente da improbidade e da exploração explicita do dinheiro público. No pomposo e rico estado de Santa Catarina a vice-governadora Marilisa Boehm, contratou, através de seu gabinete, um grupo de funcionários para sua cozinha, de fazer inveja aos restaurantes mais badalados. Um cozinheiro receberá R$ 21 mil para trabalhar quatro dias, os demais membros da equipe da cozinha (4) receberão entre R$9 e R$ 11 mil. Todos os salários superam a média de vencimentos de todas as categorias do serviço público catarinense. A vice- governadp0ra ainda recebe casa, comida e roupa lavada. Espero que a moda não pegue.  E o povo que se ferre.

Volta à vida o IPHAN

que Bolsonaro destruiu

Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) está desenvolvendo um projeto de longo prazo de revitalização de prédios localizados em centros históricos, com foco voltado à habitação.

Segundo Leandro Grass, presidente da autarquia, o programa está sendo validado pela Casa Civil e deve ser lançado até o final do mês. A ideia é ter um investimento de mais de R$ 1 bilhão para os próximos anos.

Em 2013, durante a presidência de Dilma Rousseff (PT), o governo federal criou o PAC Cidades Históricas, voltado a atender cidades com bens tombados pelo Iphan.

O governo Bolsonaro paralisou completamente um órgão da mais alta importância para a história e memória do país.

O exemplo de São Paulo

O governo estadual de São Paulo optou por responder à onda de ameaças e ataques a escolas sem dar ênfase ao policiamento armado e sem apostar na instalação de equipamentos de segurança como detectores de metal.

Foi anunciada a contratação de 550 psicólogos para atender escolas estaduais e de até mil vigilantes particulares desarmados, além do treinamento de professores para acolher alunos com problemas de saúde mental.

O governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) disse que acredita ser possível resolver o problema com o mínimo possível de mudanças na estrutura da escola.

Os Estados Unidos é um exemplo de que policiais ostensivamente e aparelhos para detectar armamentos não resolvem a questão e até agrava

Arivaldo Maia

Perto de completar 76 anos de idade e em plena forma, pendura as chuteiras o maior narrador esportivo da história de Alagoas, por vontade própria. Surpreendeu até seus companheiros de trabalho que apostavam em muitos anos ainda com sua presença no timaço da Gazeta.

Meu contemporâneo e amigo, começamos juntos na Rádio Sampaio de Palmeira dos Índios, ele no futebol e eu no jornalismo. Narrou grandes partidas e muitas Copas do Mundo. Profissional talentoso, recebeu inúmeros convites para levar sua voz inigualável, mas nunca aceitou deixar Alagoas. Um homem honrado e um ícone do rádio brasileiro.

Detran na linha certa

Tão logo assumiu a presidência do Detran, o engenheiro Marco Fireman implantou mudanças e com sua larga experiencia gestão de resultados vem a cada dia aperfeiçoando a autarquia e trazendo ações que aproximam a sociedade do importante órgão.  Fireman implantou sua marca por onde passou, aqui em Brasília, onde exerceu importantes cargos. É responsável, empreendedor e frente no quesito gestão pública de qualidade.

Alagoas de Lula

“O Brasil voltou”, garantiu o presidente Lula. O petista anunciou, ainda, que o programa Mais Médico vai enviar profissionais para 31 cidades de Alagoas e que o Bolsa Família transforma a vida de mais de 540 mil famílias alagoanas, injetando R$ 359 milhões/mês na economia.Nestes primeiros 100 dias de governo, trabalhamos incansavelmente para devolver dignidade e qualidade de vida ao povo brasileiro, em especial às 33 milhões de vítimas da fome. O Bolsa Família voltou ainda mais forte, com valores adicionais para crianças e adolescentes. Depois os políticos locais vão dizer que foram eles que conseguiram.

Criar Frente Parlamentar para defender poderosos do agro é fácil e “rende”. Quero ver criar Frente Parlamentar para matar a fome dos alagoanos.

O senador Rodrigo Cunha continua no mesmo marasmo e agora com seu entorno criando confusão.

Postado por Pedro Oliveira

Será o Benedito?

09.04.2023 às 08:40
Marcelo Camargo - Agência Brasil

PARA REFLETIR

“Políticos no Brasil não são eleitos pelas pessoas que leem jornais, mas pelas quais se limpam com ele”. 

Será o Benedito?

O prefeito da Barra de São Miguel, Benedito de Lira, é o político com atividade mais longeva em Alagoas. Começou sua carreira como vereador de Maceió e foi presidente da Câmara, eleito deputado estadual também presidiu a Assembleia Legislativa, o caminho a seguir foi a Câmara dos Deputados e depois o Senado Federal. Não há um município no estado em que ele não tenha sido votado, alguns com menos outros com mais expressividade. Conseguiu muitos milhões para os cofres de prefeituras, ajudando as administrações e contribuindo para a eleição de aliados.

Já tinha idade para se aquietar, mas é teimoso e não suportaria o ócio e a inercia, ao ver o sangue da política parar de correr nas suas veias. Resolveu ser prefeito da Barra de São Miguel e deu um banho nos adversários.

Só não contava que pessoas muito próximas a ele, que se serviram a vida toda

de sua generosidade e do seu filho, deputado Arthur Lira, lhes aplicasse uma rasteira, traindo sua confiança e ferindo o seu coração.

Enfim, esse é o jogo político, onde se vende e se compra caráter e a vida segue em frente e amanhã quem sabe, será outro dia.

Os malucos de lá

Por acaso estão pensando que apenas nós brasileiros estamos fadados a ouvir asneiras e idiotices vindas do lado bolsonarista de ser? Olha essa pérola com a qual me deparei na audiência do outro aloprado americano Donald Trump.

Para a deputada Marjorie Taylor Greene, "Trump se juntará a algumas das pessoas mais incríveis da História se for preso hoje". Em uma entrevista ao vivo ao canal RSBN, ela comparou o ex-presidente à Jesus e ao ex-líder sul-africano e Nobel da Paz Nelson Mandela.

— Nelson Mandela foi preso, cumpriu pena na prisão. Jesus! Jesus foi preso e assassinado — afirmou a deputada, uma republicana da Geórgia conhecida por propagar teorias da conspiração e sugerir falsamente que os democratas apoiam a pedofilia.

Madames domésticas

O senador Renan Calheiros deu uma tremenda pisada de bola ao anunciar, nas redes sociais, sua disposição de encampar matéria, no Congresso Nacional, para que as donas de casa, passem a ter direitos sociais igualmente a qualquer empregado (a). Sua ideia, se aprovada, causaria a maior confusão. Caso o “empregador” não gostar do serviço, pode demitir por justa causa? Por outro lado, o índice de separação iria explodir.

Estive em uma reunião social, recentemente e as brigas já começaram, mesmo sem a aprovação da lei.

Um fiasco de show

O tempo está correndo e até agora não vi sequer uma palavra de quem de direito, sobre a irresponsabilidade empresarial dos realizadores do show de Djavan, no último fim de semana, que tentam jogar a culpa nos revendedores de ingressos, leia-se LS Entretenimento.  Pessoas ficaram feridas, algumas com sintomas de pânico, diante da superlotação de todos os espaços (até os considerados de primeira classe).

Um espetáculo que seria de grande magnitude, frustrado e com grande repercussão negativa.

É como se a cidade não tivesse ordem, leis e alguém para fiscalizar a cuidar da defesa do cidadão. As pessoas foram lesadas e quem paga a conta? 

Contendo as marés

A prefeitura de Maceió continua tocando em ritmo acelerado, as obras de contenção das marés, nas praias da cidade. Uma obra que tem pouca visibilidade, mas de uma importância grande, impedindo o avanço das águas e os graves danos na orla, coisa nunca acontecida anteriormente. Fui ver o trabalho realizado em plena madrugada e constatei. Somos a primeira capital no Brasil e adotar o sistema, que já passa a ser copiado em outros estados.

O “roubo” de Dilma 

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) não devolveu seis bens recebidos em cerimônias no Brasil e no exterior que seriam da Presidência. Somados, os objetos valem R$ 4.873.

Em 2016, a Justiça questionou onde estavam 144 bens que Dilma recebeu entre 2011 e 2016, para que fossem devolvidos ao patrimônio da União. Três anos depois, a Presidência da República informou que todos os objetos foram encontrados, menos seis.

E os aliados do energúmeno não querem entender a diferença.

Pílulas do Pedro

O Procurador Regional Eleitoral Antônio Henrique de Amorim Cadete é hoje o destaque do TER/AL, por suas posições em defesa da moralidade

Os partidos políticos em Alagoas, literalmente têm “donos”. Para ficar tem que obedecer às ordens dos “chefetes”.. 

Postado por Pedro Oliveira

Inferno astral

01.04.2023 às 20:40

PARA REFLETIR

Bolsonaro chega ao Brasil. Começa seu inferno astral, que pode ser a cadeia.

Lira garante o piso da enfermagem

(BRASÍLIA) - O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), anunciou prioridade para três temas de interesse dos prefeitos ao participar na quarta-feira (29) da 24ª Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. Entre eles está o financiamento do piso nacional da enfermagem, aprovado pelo Congresso Nacional em 2022.

A Lei 14.434/22 definiu como salário mínimo inicial para a categoria o valor de R$ 4.750, a ser pago pelos serviços de saúde públicos e privados, mas está suspensa pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 25/22 prevê repasse estimado em R$ 9 bilhões anuais para cobrir despesas

Os prefeitos saíram animados com o empenho e a palavra do presidente Arthur Lira

Nova Brasil

Nasci praticamente dentro de uma emissora de rádio e assim foi minha primeira incursão na comunicação e não larguei mais. Sempre fui maníaco por rádio (ouvir) cuja paixão foi diminuindo à medida que as emissoras passaram a ser chatas, com músicas de péssimo gosto (é o que temos), e muita conversa fiada de locutores sem destino ou vocação para o ofício. As programações ficaram chatas. Deixei de ouvir rádio.

Há pouco tempo, um amigo me sugeriu: “ouça a rádio Nova Brasil” e assim fiz. Voltei ao tempo do rádio bom, com música de qualidade e uma programação muito legal. Hoje não ouço outra emissora.

No local sou fã do programa “mesa pra dois”, conduzido por nossa musa Liara Nogueira e seu parceiro Kaká Villaverde, com excelente equipe de produção.

Super recomento.

Renata Santos

A secretária da Fazenda, Renata Santos, ao assumir o difícil cargo, não surpreendeu aos que conhecem o seu trabalho. Líder super capacitada, domínio absoluto de finanças, planejamento e gestão pública moderna e eficiente. O governador Paulo Dantas está tranquilo e prestigiando o trabalho de Renata, no equilíbrio fiscal e na segura condução das finanças do estado. 

Rodrigo Cunha, o mesmo

O jovem senador entrou para a segunda metade do seu mandato e parece que continua o mesmo, sem visibilidade e ações no Congresso Nacional.  Foi-lhe dada uma nova chance de emergir das profundezas do obscurantismo e se não mudar radicalmente, sua postura e maneira de atuar, vai perder a vaga e apaga sua vida política. Candidato a prefeito de Maceió? Morre antes de chegar na praia.

Com a crise, o governo perde

(BRASÍLIA) -A crise instalada entre os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e Arthur Lira (PP-AL) em relação ao trâmite das medidas provisórias (MPs) levou o governo a adiar os planos de votação no Congresso Nacional. Sem acerto, o governo trabalha agora para que as medidas provisórias sejam votadas só em junho. São pelo menos 60 dias a mais do que os planos iniciais do governo.

Há ainda outras mudanças, já que nem todas as medidas provisórias serão votadas no prazo regimental obrigatório. Na briga entre Lira e Pacheco, foi o governo Lula que precisou recuar.

“Temos de reorganizar o calendário de votações no Congresso Nacional. Queremos um calendário até o final de junho para a votação de MPs”, disse Alexandre Padilha, ministro das Relações Institucionais.

Governo vai bem

O governo Paulo Dantas está apenas começando, mas já dá sinais que está no caminho certo. Formou uma equipe com a sua cara e tem sido intransigente na questão de resultados, delegando e cobrando diretamente de seus auxiliares.

É ele o protagonista de sua gestão e assim deve ser, para manter sua condição de liderança e independência, com responsabilidade.

O futuro...só Deus sabe.

Pílulas do Pedro

Os políticos de Alagoas não brigam pelo estado, mas por suas convicções e revanches aos adversários.

Planalto sinaliza que alguns ministros estão incomodando o presidente ao anunciarem obras e projetos sem consultar a Casa Civil. Vai ter bronca.

Postado por Pedro Oliveira


Pedro Oliveira por Pedro Oliveira

Jornalista e escritor. Articulista político dos jornais " Extra" e " Tribuna do Sertão". Pós graduado em Ciências Políticas pela UnB. É presidente do Instituto Cidadão,  membro da União Brasileira de Escritores e da Academia Palmeirense de Letras.

Todos os direitos reservados
- 2009-2024 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]