Dólar com. 4.8264
IBovespa 0.58
25 de maio de 2022
min. 23º máx. 32º Maceió
chuva rápida
Agora no Painel Chuvas afetam mananciais e dificultam abastecimento na Região Metropolitana de Maceió

Blogs

Para onde vão as penas dos tucanos de Alagoas?

23.03.2022 às 11:40


A deputada Tereza Nelma está fora do PSDB.

Disputará a reeleição por uma nova legenda, mais provavelmente pelo PSD do ex-prefeito de Maceió, Rui Palmeira, pré-candidato ao governo do estado.

Fora do PSDB, Tereza praticamente inviabiliza a chapa para federal dos tucanos na eleição deste ano.

A bem da verdade, o PSDB Alagoas a cada dia se fragiliza mais.

À vista: possibilidade do senador Rodrigo Cunha, presidente estadual do PSDB, trocar de legenda para viabilizar sua candidatura ao governo do estado, a hipótese de, nesse caso, o deputado Davi Maia (que não tem absolutamente nada a ver com a trajetória ideológica do PSDB!) assumir o comando do partido, a saída da deputada Cibele Moura e do deputado Dudu Ronalsa, e a não capacidade de seus dirigentes em construir uma chapa competitiva para a Câmara dos Deputados.

Um triste fim para o PSDB de Alagoas.

Convenhamos.

Postado por Ponto Final

Para quem está se afogando, jacaré é tronco

22.03.2022 às 15:20


O ex-procurador-geral de Justiça e ex-secretário de segurança de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça, está na política mais perdido do que cego em tiroteio. Foi para um lado, para outro, deu palavra a um, descumpriu logo após, fez acordo num canto, desfez em seguida, e onde vai parar agora?

Sem muitos caminhos a seguir após idas e vindas, possivelmente se agarrará ao União Brasil, partido que tem como dono em Alagoas o deputado federal Arthur Lira (PP).

Perdeu-se no caminho, atrapalhou-se no foco, chega à disputa com o carimbo de “inconfiável”, tipo aquele que promete e não cumpre, que dá a palavra e a joga fora, que a ganância pelo poder lhe é prioridade a qualquer custo.

Lamentável!

Na chefia do Ministério Público era o “xerife” contra a corrupção, agora, na política, parece estar bem acomodado entre os que combatia no passado recente, na busca a qualquer preço por um mandato de deputado federal.

Ou seja, não criou limo da eleição de 2020 para cá.

Postado por Ponto Final

Pisando na bola

18.03.2022 às 08:20

Conversar com todo mundo sobre todas as possibilidades de entrar em um grupo político para disputar uma eleição, é saudável e legítimo, é até uma necessidade para se saber onde pisa no campo eleitoral.

Agora, feito o ex-procurador-geral de Justiça de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça, que busca um grupo político, conversa com ele, empenha sua palavra de ficar ali e poucas horas depois desiste com desculpa amarela, é feio demais.

A história não perdoa, ainda mais quando não é a primeira vez.

Em 2018 Alfredo prometeu ao ex-deputado João Caldas que estaria em seu grupo, mas deu para trás, adiou sua ida ao embate eleitoral. Em 2020, assumiu com o então prefeito de Maceió, Rui Palmeira, que se filiaria ao PSDB e disputaria a prefeitura da capital alagoana, mais uma vez não cumpriu, ingressou no MDB dos Calheiros.

Há cerca de 15 dias, alinhou sua ida para o PSD como candidato a deputado federal, ajudou na iniciação da formação da chapa proporcional de modo que se sentisse confortável na disputa, deixou a sede do partido para entregar o cargo de secretário de segurança Pública do estado ao governador Renan Filho e lhe informar da mudança partidária.

E de novo descumpriu sua palavra com Rui Palmeira, hoje presidente do PSD Alagoas. 

Alfredo continua no MDB, será candidato do grupo do governador Renan Filho, embora, feito menino amarelo, na tentativa de salvar o que já está perdido, diz que vai votar em Rui Palmeira para o governo.

Não vai. 

O candidato ao governo estadual do MDB é Paulo Dantas e Alfredo terá que seguir a cartilha direitinho.  Ou vai ficar mais feio ainda para ele, que nem entrou de vera na política e já deixou um rastro de sujeira difícil de limpar. 

Mais uma pisada de bola e Alfredo não terá credibilidade nem para ser síndico do edifício onde mora.

Postado por Ponto Final

Por paridade no Quinto Constitucional

15.03.2022 às 12:40
Tereza Nelma - Assessoria


A deputada federal Tereza Nelma engajou-se na campanha das advogadas alagoanas por paridade já na eleição da lista sêxtupla do Quinto Constitucional para o Tribunal de Justiça de Alagoas. 

A luta ganha uma aliada importante.

A parlamentar tem representado em Alagoas e no Brasil a causa da mulher em todas as suas áreas, não poderia ser diferente, agora, numa frente que briga pela igualdade de posições em um pleito eleitoral que, por si só, tem na base o Direito de todos e todas.

A reivindicação das advogadas de Alagoas já chegou ao Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), tomou corpo na advocacia feminina de vários estados brasileiros, e pode ser judicializada aqui no estado.

Ou seja, não é um grito atoa, é uma bandeira por Direito.

Oxalá Tereza Nelma empodere essa bandeira também no Congresso Nacional.

Postado por Ponto Final

Edital da OAB/AL impugnado

14.03.2022 às 10:40


O edital da seccional Alagoas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para o Quinto Constitucional, lançado dia 8 de março passado, foi impugnado por um grupo de advogadas alagoanas que exige paridade na eleição.

Uma lista com seis nomes indicados pela advocacia alagoana, através do voto direto, será referência para a vaga de desembargador ou desembargadora no Tribunal de Justiça de Alagoas. Desses nomes, o tribunal indicará três para que o governador do estado nomeie um.

O que querem as advogadas? Que a lista sêxtupla tenha paridade, que sigam para o Tribunal de Justiça os 3 advogados mais votados e as 3 advogadas mais votadas.

A impugnação está sendo tramitada na OAB alagoana, mas as advogadas prometem até judicializar a causa se necessário for. 

Um pleito justo, convenhamos. 

Dos 16 desembargadores alagoanos, apenas uma dessas vagas é ocupada por mulher, a desembargadora Elizabeth Carvalho.

Postado por Ponto Final

Mais um palanque para Lula em Alagoas?

11.03.2022 às 11:20


O ex-presidente Lula pode levar o PSD para o leque de alianças em torno de sua candidatura à presidência do Brasil este ano. O canal é Alexandre Kalil, filiado ao partido de Kassab, e atual prefeito de Belo Horizonte, cogitado para disputar agora em 2022 o governo de Minas Gerais, que pode ganhar o apoio do PT nessa empreitada.

Lula declarou ontem, 10 de março, que vai esperar pela decisão de Kalil a respeito da candidatura ao governo mineiro para conversar com ele e, certamente, com Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD.

O PSD tem ensaiado nomes próprios para a disputa eleitoral deste ano. A principal aposta era o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (MG) que, no entanto, anunciou sua desistência na última quarta, dia 9. A decisão foi elogiada por Lula, que afirmou que Pacheco “fez bem” em focar na reeleição para o parlamento.

Caso o PSD decida pelo apoio a Lula, aqui em Alagoas o petista teria mais um palanque para chamar de seu: o do ex-prefeito de Maceió, Rui Palmeira, presidente estadual da legenda, que não arreda pé de se candidatar ao governo do estado este ano.

O outro palanque de Lula será formado pelos Calheiros, junto com a esquerda alagoana.

Em tempo: há a possibilidade de mais um palanque para Lula aqui no estado, o do PSB de JHC, prefeito de Maceió, que não se une com o MDB dos Calheiros e nem com o PSD de Rui Palmeira.

Pelo menos, por ora.

Postado por Ponto Final

Sem chance

10.03.2022 às 10:00


Não dá para o senador Rodrigo Cunha (PSDB) não ser candidato ao governo de Alagoas na eleição deste ano.

Foi por essa candidatura que ele aceitou o nome da ex-prefeita de Ibateguara Eudócia Caldas, mãe do prefeito de Maceió, JHC, como sua primeira suplente no Senado em 2018. Foi por essa candidatura que ele deixou de lutar e apresentar um nome de seu partido para disputar a prefeitura de Maceió em 2020 e apoiou JHC (PSB). Foi por essa candidatura que o senador viu sair da legenda a qual ele preside aqui no estado, lideranças importantes em nome da aliança com a família Caldas.

É por essa candidatura que Cunha releva alguns posicionamentos para não criar polêmica em torno de si.

Então, recuar agora não deve mesmo estar nos planos do senador.

Ou a recusa de hoje pode virar derrota em 2026.

Postado por Ponto Final

Alckmin parte pra ser feliz com Lula

Fim da novela sobre o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

09.03.2022 às 08:40


Há dois dias, depois de duas horas de conversa em um hotel na capital paulista, Alckmin selou com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, sua filiação ao partido, e parte para ser o vice na chapa de Lula para a presidência do Brasil.

Agora, é só uma questão de tempo para a assinatura da filiação e o anúncio oficial da aliança do PSB com o PT, tendo o ex-tucano como companheiro de Lula na disputa eleitoral deste ano. 

Agora, é esperar para ver até onde afeta positivamente ou não essa aliança nos estados.

Postado por Ponto Final

Contando com o ovo dentro da galinha

08.03.2022 às 08:49


O governador de Alagoas, Renan Filho, nem anunciou que deixará o cargo em abril para disputar o Senado da República e o deputado Paulo Dantas, pré-candidato a esse possível mandato-tampão, já está até formando seu secretariado.

Dantas colocou literalmente o carro na frente dos bois.

Conta para essa sua certeza com o apoio incondicional do “todo-poderoso” presidente da Assembleia Legislativa do Estado, deputado Marcelo Victor, mas até votos contados e o resultado anunciado oficialmente tem um longo caminho a ser percorrido.

Bradar a vitória de uma guerra que não se sabe nem se vai haver, ou é muita prepotência ou muita ingenuidade.

E gente ingênua é que não há mesmo na Casa Tavares Bastos!

Renan Filho tem até o dia 2 de abril para deixar o governo, caso decida mesmo se candidatar ao senado ou a deputado federal na eleição deste ano. Se resolver concluir o mandato, pode até apoiar a candidatura de Paulo Dantas à sua sucessão, mas aí a eleição só acontecerá em outubro, disputada no cenário de hoje com o deputado Antônio Albuquerque, o ex-prefeito de Maceió Rui Palmeira e o senador Rodrigo Cunha.

Ou seja, mais cautela, menos precipitação.

Postado por Ponto Final

Quando uma guerra cai como luva para um governo bolsonarista!

03.03.2022 às 09:00


A guerra no Leste Europeu virou argumento para o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, defender a liberação de mineração em terras indígenas.

O que uma coisa tem a ver com a outra? O presidente explica:

O Brasil é dependente da Rússia para obter potássio, matéria-prima de fertilizantes usados na agricultura brasileira. Com o conflito internacional, o produto pode faltar ou encarecer. Por isso, regiões como a foz do Rio Madeira, próximo a uma reserva indígena, poderiam suprir essa demanda. 

Em redes sociais, Bolsonaro publicou um vídeo de 2916, quando ele era deputado federal, favorável à exploração de potássio em reservas indígenas: “Como deputado, discursei sobre nossa dependência do potássio da Rússia. Citei três problemas: ambiental, indígena e a quem pertencia o direito exploratório na foz do Rio Madeira (existem jazidas também em outras regiões do país)”. 

Ou seja, nada tão ruim, como uma guerra, que não possa piorar para o Brasil no governo bolsonarista.

Vai vendo, Brasil, vai vendo!

Postado por Ponto Final


Ponto Final por Redação

 Blog Político

Todos os direitos reservados
- 2009-2022 Press Comunicações S/S
Tel: (82) 3313-7566
[email protected]